Vice-presidente da Câmara sugere reunião com o Executivo para esclarecimentos sobre inclusão de Areia Branca na emergência

TONHO PRESIDENTE“Tonho da Cohab” levantou debate sobre a inclusão do município no quadro de emergência

O Rio Grande do Norte tem 95% dos municípios em situação de emergência por causa da seca que atinge o Estado. O novo decreto prorrogando a situação de emergência por mais 180 dias em 159 cidades potiguares que apresentam um quadro de gravidade no abastecimento de água, foi assinado pela governadora Rosalba Ciarlini (DEM) no dia 25 passado.

Apenas oito municípios do RN não estão em estado de emergência. São eles: Natal, Parnamirim, São Gonçalo do Amarante, Extremoz, Macau, Goianinha, Maxaranguape e Rio do Fogo. 

A inclusão de Areia Branca na relação dos municípios castigados pela falta de chuvas e, portanto, declarados em situação de emergência, tem gerado controvérsias na cidade desde que o decreto governamental foi instituído em abril de 2012.

Ontem, 1º, o assunto dominou parte dos debates da sessão ordinária na Câmara Municipal. O vice-presidente da Casa, vereador Antônio Luiz Neto, “Tonho da Cohab” (DEM), mais uma vez levantou a questão que a cidade está perdendo mais do que ganhando com essa situação de emergência.

Para “Tonho da Cohab”, embora reconhecendo que existe uma parcela de pessoas que cultiva a terra para complementar a renda familiar, o município não tem histórico da agricultura como base de subsistência de quem vive no campo. “Na minha concepção, Areia Branca hoje perde muito mais com a não realização dos grandes eventos festivos que a projetaram no passado que mesmo com o que recebe a título de emergência”, opina.

Com apartes dos colegas, “Tonho da Cohab” afirmou que o cancelamento de eventos como o Carnaval e a festa de Nossa Senhora dos Navegantes, por conta da situação de emergência, resultaram em prejuízos para os comerciantes e a população num todo, e gradativamente está tirando o município da rota turística regional.

O vereador defendeu que a Câmara mobilize os setores competentes em busca de alternativas para assegurar ao município o direito de desenvolver o seu calendário de eventos sem comprometer o andamento da máquina administrativa.

Como primeiro passo para essa mobilização, foi sugerido por “Tonho da Cohab” uma reunião dos vereadores com a prefeita Luana Bruno (PMDB) para que seja feito um esclarecimento sobre os benefícios da emergência que são canalizados para os produtores rurais do município. Ao mesmo tempo em que os edis farão uma exposição de motivos sobre a importância da manutenção do calendário de eventos festivos da cidade.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *