Viagem de Bolsonaro a Israel resultará em parcerias em diversos setores entre os dois países

Após EUA e Chile, Bolsonaro embarcou para Israel (Foto: Divulgação/Presidência da República)

Em sua terceira viagem oficial ao exterior, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) embarcou neste sábado, 30, por volta 13h15, para Israel. No país, ele se reunirá com o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu.

O vice-presidente, Hamilton Mourão (PRB), participou de cerimônia de transmissão de cargo na base aérea de Brasília antes da viagem. Ele ocupará o posto de Bolsonaro até o retorno do presidente.

Em Israel, entre outros compromissos, Bolsonaro retribuirá a visita que Netanyahu fez ao Brasil para participar da posse, em 1º de janeiro. Foi a primeira visita oficial de um premiê de Israel ao Brasil.

Na ocasião, Bolsonaro e Netanyahu tiveram um encontro no qual reafirmaram a intenção de estreitar os laços entre os dois países e fazer parcerias em diversos setores. O israelense chamou o brasileiro de “grande amigo”, “grande aliado” e “grande irmão”.

A visita do presidente Jair Bolsonaro ocorre às vésperas de eleições convocadas para 9 de abril em Israel. O premiê Benjamin Netanyahu dissolveu seu governo para postergar o risco de indiciamento em dois dos quatro escândalos de corrupção em que é alvo. Se for reeleito (pela quinta vez), superará o recorde de permanência no cargo do fundador do Estado de Israel, David Ben-Gurion.

Compromissos em Tel Aviv e Jerusalém

A agenda de Bolsonaro em Israel prevê compromissos em Tel Aviv e em Jerusalém. As duas cidades estão no centro de uma polêmica envolvendo a embaixada brasileira no país.

Bolsonaro declarou, em novembro do ano passado, após vencer a eleição presidencial, que iria transferir a embaixada brasileira de Tel Aviv para Jerusalém, a exemplo do que foi feito pelos Estados Unidos. Mas a mudança ainda não foi oficializada.

Com a medida, o Brasil reconheceria Jerusalém como capital de Israel, o que suscitou o receio de retaliações comerciais de países árabes, grandes compradores de carne bovina e de frango do Brasil.

Israel considera Jerusalém a “capital eterna e indivisível” do país. Mas os palestinos não aceitam e reivindicam Jerusalém Oriental como capital de um futuro Estado palestino. A comunidade internacional não reconhece a reivindicação israelense de Jerusalém como sua capital indivisível.

Após a polêmica declaração, o governo brasileiro tem adotado um tom de cautela ao falar sobre o assunto. Em diversas ocasiões, o porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros, disse que o governo estuda o assunto, e não deve anunciar nenhuma medida nesse sentido na visita oficial a Israel. Na quarta-feira, 28, Bolsonaro disse que, talvez, o Brasil abra um escritório comercial em Jerusalém.

Comitiva brasileira

Em Israel, Bolsonaro também deve visitar uma comunidade de brasileiros estabelecida na cidade de Raanana.

A comitiva do presidente é formada pelos ministros Ernesto Araújo (Relações Exteriores), Bento Albuquerque (Minas e Energia), Marcos Pontes (Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional).

Também vão a Israel na comitiva do presidente os senadores Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), Chico Rodrigues (DEM-RR) e Soraya Thronicke (PSL-MS), além da deputada Bia Kicis (PSL-DF).

Veja abaixo os compromissos previstos na visita de Bolsonaro a Israel:

Sábado – 30/3

23h20 (horário local) – Parada em Las Palmas (Espanha)

Domingo – 31/3

0h50 – Partida de Las Palmas para Tel Aviv

10h – (horário de Israel) – Chegada a Tel Aviv

10h05 – Cerimônia oficial de chegada a Israel

13h – Almoço privado

17h – Reunião privada com o primeiro-ministro de Israel

18h – Cerimônia de assinatura de acordos nas seguintes áreas: Ciência e Tecnologia, Defesa, Segurança Pública, Saúde e da Medicina (a confirmar).

19h10 – Chegada à residência do primeiro-ministro

19h15 – Declaração conjunta à imprensa do presidente Jair Bolsonaro e do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu

19h45 – Jantar oferecido pelo primeiro-ministro de Israel

20h – Jantar oferecido pelo ministro de Energia de Israel, Yuval Steinitz, aos ministros integrantes da delegação brasileira

Segunda-feira – 1/4

9h30 – Visita à Unidade de Contraterrorismo da polícia israelense

9h40 – Demonstração de emprego da Unidade de Contraterrorismo da polícia israelense

11h10 – Visita à Brigada de Busca e Salvamento do Comando da Frente Interna de Israel

11h15 – Cerimônia de condecoração da Brigada de Busca e Salvamento do Comando da Frente Interna de Israel com a Insígnia da Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul

12h20 – Almoço privado

16h50 – Chegada ao Muro das Lamentações

Terça-feira – 2/4

8h30 – Café da manhã com CEOs de startups israelo-brasileiros

10h – Cerimônia de abertura do encontro empresarial Brasil-Israel

10h50 – Visita à exposição de produtos de empresas de inovação

11h40 – Visita ao Centro Industrial Har Hotzvim e à Mobileye

12h30 – Almoço com empresários

15h45 – Visita ao Yad Vashem, Centro de Memória do Holocausto

15h50 – Visita à Exposição “Flashes of Memory – Fotografia durante o Holocausto”

16h10 – Cerimônia de oferenda floral

16h35 – Visita ao Bosque das Nações

16h45 – Cerimônia alusiva ao plantio de muda de oliveira no Bosque das Nações

19h – Jantar privado

Quarta-feira – 3/4

9h30 – Chegada à cidade de Raanana

9h40 – Visita à comunidade de brasileiros estabelecida na cidade

11h20 – Chegada ao Aeroporto Internacional Ben Gurion

11h40 – Partida de Tel Aviv para Las Palmas

14h50 – Chegada a Las Palmas

16h20 – Partida de Las Palmas para Brasília

20h40 – Chegada a Brasília

Com informações G1 – Brasília

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *