Vereador mostra preocupação com rumores sobre transferência do atendimento da Receita Federal para Mossoró

NETINHO CUNHA, RECEITA FEDERAL DE AB

“Netinho Cunha” em frente ao prédio da Receita Federal, Inspetoria de Areia Branca (Foto: Erivan Silva)

“A desativação da Inspetoria da Receita Federal é um retrocesso para Areia Branca e representará um grande prejuízo para os contribuintes locais e dos municípios contemplados com os serviços prestados pelo órgão”. O alerta é feito pelo vereador Francisco José de Souza Neto, “Netinho Cunha” (PSB), demonstrando preocupação com os rumores crescentes nos diversos setores da cidade, acerca do assunto.

Nesta quinta-feira, 24, “Netinho Cunha” esteve na Inspetoria da Receita Federal em busca de informações concretas sobre as condições funcionais do órgão, no município. Como os dados obtidos em nível local foram vazios, o vereador decidiu entrar em contato com o delegado da Receita Federal de Mossoró, Wyllo Marques Ferreira Júnior, com quem foi marcada uma reunião para a próxima quarta-feira, 30, às 9h30, na sede do órgão, para tratar da questão.

Segundo “Netinho Cunha”, na conversa com o delegado da Receita Federal de Mossoró ele vai insistir na permanência da Inspetoria local, diante da importância do órgão para Areia Branca e para os municípios de Grossos, Porto do Mangue e Serra do Mel. “Vamos mobilizar os segmentos político e empresarial da cidade e municípios vizinhos pela permanência da Receita Federal em Areia Branca”, reforça.

Ele disse que além da luta pela permanência da Receita Federal, também será feita a defesa de uma reforma no prédio que abriga o órgão, que precisa de melhorias em suas estruturas.

O vereador não concorda com a alegação de que os altos custos de manutenção da Inspetoria seria uma das causas da sua transferência para Mossoró. “Não concordo com tais alegações, pois sabemos que a Receita Federal em Areia Branca funciona em prédio próprio e com quatro servidores, sendo dois efetivos do órgão e igual número terceirizado, de forma que a alegação de custeio não justifica a transferência do atendimento para Mossoró”, enfatiza.

Extinção

Em 30 de dezembro de 2010 a Inspetoria da Receita Federal de Areia Branca foi declarada extinta e o atendimento transferido para o Centro de Atendimento ao Contribuinte, da Delegacia da Receita Federal do Brasil em Mossoró.

O prefeito da época, Manoel Cunha Neto, “Souza” (hoje no PHS), foi à luta em defesa da permanência do órgão na cidade, numa mobilização que contou com o apoio de segmentos locais e da região, e também do ministro da Previdência Social, Garibaldi Filho (PMDB), e da deputada federal Sandra Rosado (PSB).

O então prefeito alegara que Areia Branca precisava dos serviços prestados pela Inspetoria da Receita Federal para os contribuintes locais, pela grande importância econômica do município no Rio Grande do Norte e no país. “Perdendo a Receita Federal, a população terá grandes dificuldades com os trâmites exigidos aos contribuintes, que terão que se deslocar para outra cidade”, justificara na época.

A luta encampada por “Souza” surtira efeito e em janeiro de 2011, ele recebia a notícia, diretamente da Receita Federal do Brasil em Brasília (DF), de que a representação local do órgão não seria fechada. Agora, é a vez do vereador “Netinho Cunha”, que é sobrinho do ex-prefeito “Souza”, ir à luta pela permanência do órgão em Areia Branca. “A Receita Federal é fundamental para a cidade”, conclui.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *