Vereador entra com pedido de aposentadoria, mas o INSS garante que ele só tem metade do tempo de contribuição

ALDERI BATISTA, VEREADOR_thumb[1]Alderi Batista quer saber onde foram parar quase 20 anos de contribuição

Os vereadores areia-branquenses devem procurar a agência local do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) para checar o tempo de contribuição previdenciária, pois na hora de requerer a aposentadoria poderão ter surpresas desagradáveis. O alerta foi feito pelo vereador Alderi Batista de Souza (PPS), que teve frustrado o seu pedido de aposentadoria por tempo de contribuição.

Na última sessão ordinária do mês em curso na Câmara Municipal de Areia Branca, na terça-feira, 18, o vereador Alderi Batista relatou a sua via crucis junto à Previdência Social para obter aposentadoria, já que segundo ele, atingiu o tempo de contribuição necessário para fazer jus ao benefício.

Segundo Alderi Batista, o seu tempo de contribuição foi calculado por um escritório de contabilidade local e considerando os 18 anos (mais carência) que trabalhou na área salineira antes de ser vereador, mais o período de atuação no Legislativo municipal (ele exerce o quinto mandato consecutivo) daria tempo suficiente para dar entrada ao processo de obtenção de sua aposentadoria. Mas no INSS a história foi outra.

Em resposta ao pedido feito pelo edil, o INSS alegou que ele só teria computado para fins de aposentadoria, 18 anos, 6 meses e 21 dias. Como o tempo mínimo de aposentadoria com adicional é de 35 anos, o órgão previdenciário informou que Alderi Batista ainda teria que cumprir o tempo de 16 anos, 5 meses e 9 dias.

O mais estranho, segundo Alderi Batista, é que o setor contábil da Câmara Municipal comprova que as contribuições dos vereadores estão em dia e que não há pendências em relação a recolhimentos previdenciários. “Onde foram parar esses quase 18 anos de contribuição da Câmara?”, indagou o edil.INSS  11 NOVAAgência da Previdência Social de Areia Branca

Ele disse ainda, que nunca segunda consulta ao órgão, outro funcionário deu uma nova versão para o caso e também lhe informou uma quantidade maior do seu tempo de contribuição. Nesse caso, ao invés de 18 anos e seis meses, ele teria hoje, computados, 23 anos, 3 meses e 3 dias de contribuição. Dessa forma, o tempo a cumprir para atingir os 35 anos exigidos para se aposentar, cairia para 11 anos, 8 meses e 27 dias.

O vereador disse que vai continuar buscando os seus direitos e provar que contribuiu para a Previdência Social nesses quase 20 anos como legislador. “Peço aos colegas vereadores que estão prestes a se aposentar e mesmo os que não estão, que procurem o INSS, pois nossas contribuições não estão sendo reconhecidas pelo órgão”, finalizou.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *