Vereador de Grossos acionará Ministério Público para investigar aplicação dos recursos dos royalties

Bruno do Córrego questiona veracidade da prestação de contas dos royalties (Foto: Reprodução/Diário de Grossos) 
O vereador no município de Grossos, Bruno Gomes (PHS), pretende
acionar o Ministério Público (MP) para investigar onde e como foram gastos os
mais de R$ 36 milhões de royalties que entraram nos cofres da prefeitura no
período de 20013 a 2016, conforme o parlamentar.
De acordo com o vereador, que é popularmente conhecido por
Bruno do Córrego, os valores pagos pela Petrobras ao município a título de
royalties no citado período, são expressivos para uma localidade do porte de
Grossos. “Também não há explicações claras por parte do Executivo municipal
sobre a aplicação desses recursos”, reforça.
O vereador Bruno do Córrego resolveu se aprofundar no assunto
depois que teve acesso a uma suposta prestação de contas dos royalties recebidos
pela prefeitura no período de 2013 a 2015. “Na verdade o Executivo não
apresentou uma prestação de contas, mas sim uma listagem de ordens de
pagamento”, diz.
Conforme o edil, o documento informado pelo Executivo menciona
apenas os valores gastos sem apresentar licitação ou em que foi gasto ou ainda o
que foi comprado com esses recursos.
Outro ponto que precisa ser esclarecido, segundo Bruno do
Córrego, é quanto ao montante de royalties recebidos pela prefeitura a partir de
2013 até o ano passado. O parlamentar afirma que o Executivo omitiu valores. “Os
valores informados pelos extratos bancários extraídos no portal do Banco do
Brasil dão conta de aproximadamente R$ 36 milhões, enquanto que os valores
informados na listagem da Prefeitura de Grossos mal ultrapassam os R$ 30
milhões”, afirma.
Com base no documento, o vereador entende que há necessidade de
uma rigorosa investigação por parte do MP, pois segundo ele há claros indícios
de irregularidades na prestação de contas dos recursos dos royalties, por parte
do Executivo grossense. (Com informações do Diário de Grossos).
Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *