Triplo sequestro no RN teve final feliz graças a vereador que desconfiou de uma ligação

0 vereadoresOs vereadores Edson Costa Moreira (mais conhecido como Edson de Manga Rosa) e José Evaldo Barbosa (Valdo Salu), e mais o secretário Antônio Costa Moreira (Manga Rosa) foram libertados pela PM (Foto: Duda Xuá/Xuadoagreste)

“Percebi pelo tom de voz dele que tinha alguma coisa errada. Só o fato de alguém ligar pedindo R$ 5 mil às onze horas da noite já foi o bastante para saber que algo não estava certo”. Foi desta forma que o vereador do município de Nova Cruz, Antônio Gomes (PR), percebeu que dois colegas de legislatura e mais um secretário do município estavam em apuros. Mais tarde, o vereador descobriria que o trio havia sido sequestrado e o dinheiro que ele precisava arrumar pagaria o resgate.

Ainda de acordo com Antônio Gomes, do outro lado da linha estava o secretário de Agricultura e Desenvolvimento Social Antônio Costa Moreira. Além do gestor, também haviam sido feitos reféns o filho dele, o presidente da Câmara Edson Costa Moreira, que é mais conhecido como Edson de Manga Rosa (PSB), e o também vereador José Evaldo Barbosa, o Valdo Salu (PSB).

Os três voltavam de Natal  para Nova Cruz em uma Hilux quando, por volta das 20h, foram abordados pelos criminosos. A polícia se deparou com os sequestradores na zona rural de Canguaretama  já na madrugada desta sexta, 4. Houve troca de tiros e dois dos suspeitos foram mortos. Um terceiro homem conseguiu escapar. As vítimas não se feriram.

A ligação do secretário para o vereador Antônio Gomes aconteceu por volta das 23h30. “Ele me disse que precisava de um dinheiro para pagar uma dívida. Falou que precisava que eu arrumasse R$ 5 mil em no máximo 20 minutos e levasse o dinheiro para um posto de combustíveis na cidade de Goianinha. Eu disse que era impossível arranjar aquela quantia em um horário como aquele, mas ele me disse que eu conseguiria”, revelou Antônio Gomes.

Após a ligação, Antônio disse que foi até a casa do tenente-coronel Genilton Tavares, comandante da PM na região, e informou que algo estranho estava acontecendo. “Quando eles fizeram um segundo contato, percebemos que se tratava de um sequestro. Foi quando entrei em contato com os familiares deles. Felizmente a Polícia Militar conseguiu resolver a situação antes dos sequestradores se encontrarem com os parentes e pagarem o dinheiro”, explicou o vereador.

Questionado sobre o papel de “negociador” que ele acabou desempenhado, o vereador se mostrou tranquilo. “Eu tenho certeza que se tivesse acontecido algo do gênero comigo eles também iriam fazer o mesmo por mim. Fico feliz que tenha acabado tudo bem”, concluiu.

Fonte: G1 RN

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *