Souza busca solução para a greve na Uern em nova reunião com o reitor e o promotor da Educação

Deputado Souza_reitor_Pedro_Fernandes_Promotor da Educacao_Raimundo Caio (6)Souza e o reitor Pedro Fernandes reunidos com o promotor Raimundo Caio 

Mesmo diante o recesso parlamentar da Assembleia Legislativa, o deputado Manoel Cunha Neto, “Souza” (PHS), vem dando continuidade as tratativas junto ao Ministério Público Estadual. Na manhã desta segunda-feira, 20, o parlamentar , se reuniu com o promotor da Educação, Raimundo Caio dos Santos, e o reitor da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (Uern), Pedro Fernandes Ribeiro Neto, para encontrar um caminho para encerrar a greve na instituição de ensino superior.

Na pauta, entendimento entre o Governo do Estado e os funcionários da Uern, que se encontram em greve desde o dia 25 de maio, que segundo o deputado Souza é preciso encontrar um caminho para o entendimento. “Ouvir propostas e o que pode ser feito para que a greve chegue ao fim”, disse Souza.

Ainda segundo o deputado, o reitor ouviu o que a Promotoria da Educação sugeriu “para termos um entendimento e acredito que podemos contribuir na busca de soluções e o encerramento da greve que já perdura um bom tempo”, detalhou Souza.

O deputado enfatizou ainda que o RN é testemunha que seu mandato tem tido uma preocupação desde que iniciou a greve da Uern. “Primeiro, o que a Uern representa para o RN. É uma instituição que nasceu em Mossoró, mas que é do RN. Que forma profissionais em todo o Estado. É uma instituição com excelentes profissionais e que não pode ficar paralisada. A greve deve e tem que chegar ao fim”, disse Souza.

Reitor

Deputado Souza_reitor_Pedro_Fernandes_Promotor da Educacao_Raimundo Caio (4)Reitor Pedro Fernandes viu na conversa com o promotor um norte para o fim do impasse  

O reitor Pedro Fernandes agradeceu a iniciativa do deputado Souza por viabilizar essa audiência com o Promotor da Educação, Dr. Raimundo Caio, em Natal. “Foi uma conversa que nos deu um norte e que na próxima quarta-feira, 22, teremos uma nova audiência, e esperamos que nesse momento encontremos uma solução para esse impasse que existe hoje na Uern, findando a greve. Aqui deixo meus agradecimentos ao deputado Souza por essa ação, por essa atitude”, comentou Pedro Fernandes.

A universidade

Nascida como uma universidade de Mossoró, a Uern é hoje uma Universidade do Rio Grande do Norte. Ou mais que isto: é uma Universidade do Nordeste. Estudantes de vários Estados nordestinos, sobretudo do Ceará e da Paraíba, acorrem para seus cursos.

Criada em 1968, como universidade municipal, a Uern está hoje presente, de forma direta, com seus campi avançados e  núcleos de educação superior, em 17 cidades do Rio Grande do Norte. São 7 campi, incluindo o Campus Central, em Mossoró, a segunda maior cidade do estado, e 11 núcleos. Os campi avançados localizam-se em Assu, Pau dos Ferros, Patu, Natal, Caicó e mais recentemente foi criado o campus de Apodi. Os núcleos estão sediados nas cidades de Areia Branca, Apodi, Caraúbas, Umarizal, São Miguel, Alexandria, João Câmara, Touros, Macau, Nova Cruz e Santa Cruz.

Deputado Souza_reitor_Pedro_Fernandes_Promotor da Educacao_Raimundo Caio (7)Empenho de Souza para encontrar um caminho para encerrar a greve na instituição tem o reconhecimento do reitor

A Uern oferece hoje 32 cursos de graduação, nos quais estão matriculados quase 12 mil alunos. Oferece atualmente diversos cursos de pós-graduação, frequentados por mais de 1000 estudantes, 12 cursos de mestrado (Física, Ciência da Computação, Letras, Ciências Naturais, Educação, Ciências Sociais e Humanas, Saúde e Sociedade, Ensino, Serviço Social e Direitos Sociais, Bioquímica e Biologia Molecular, Profissional em Letras, Planejamento e Dinâmicas Territoriais do Semi-árido), 2 cursos de Doutorado (Bioquímica e Biologia Molecular, Letras) além da oferta de dois cursos de Residência Médica em Medicina de Família e Comunidade, Ginecologia e Obstetrícia e uma Residência Multiprofissional.

Fotos: Divulgação/Assessoria

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *