“A Soma Dá Mais de 300” deverá levar para as ruas da cidade cerca de 10 mil pessoas

A SOMA DÁ MAIS DE 300 2Hoje é o dia do bloco “A Soma” literalmente invadir as ruas da cidade

Dizer quantas pessoas brincam o Carnaval no bloco “A Soma Dá Mais de 300” é uma tarefa quase impossível. Porque quando ele sai às ruas a cidade se transforma. As figuras mais bizarras e as mais irreverentes surgem de todos os lugares. É, sem dúvidas, um Carnaval à parte, pois quem está ali, desde os instantes iniciais da concentração, está extasiado, tomado por uma sensação diferente.

O bloco só sai na segunda-feira e não tem venda de abadás, cada um vai do jeito que estiver ou quiser. Basta dar asas à imaginação, abusar da criatividade. Diria os saudosistas que se trata de um bloco de resgate do carnaval antigo, com orquestras de frevo, fantasias e animação ilimitada. “Não sei onde isso vai parar, pois a cada ano “A Soma” se agiganta”, diz com a calma que lhe é peculiar a lojista Neide Melo, uma das fundadoras do bloco e que “segura a peteca” até hoje.

Este ano o bloco está completando 12 anos de existências. Em 2010 foi prestada uma homenagem ao saudoso estudante Jean Carlos Pontes da Cruz, que deu a ideia do nome do bloco “A Soma Dá Mais de 300”. A prefeitura aproveitou a festa para premiar com troféus, os foliões com a Fantasia de Luxo, Fantasia Originalidade e Fantasia Criatividade

A origem do nome “A Soma Dá Mais de 300” é, de fato, bem interessante. Em 1999 Areia Branca vivia o auge dos barzinhos e próximos à Praça da Conceição sempre existiram bons ambientes para o lazer. Neide Melo com outras amigas estavam numa mesa na calçada de uma pizzaria na área, quando Jean Carlos, sentado numa mesa próximo a elas, gritou de lá: “Somando ai, dá mais de 300”. Ele se referia ao somatório das idades das ocupantes da mesa.

A SOMA 2Irreverência: marca registrada de quem brinca no bloco “A Soma” 

A brincadeira surtiu efeito, pois dias depois, com o advento do Carnaval, Neide Melo, Jeane Araújo, Rejane Melo, Doralice Medeiros, entre outras amigas, resolveram criar o bloco “A Soma Dá Mais de 300”, que no primeiro ano saiu com uma média de 20 pessoas, usando como fantasia camisetas usadas onde cada uma delas colocou a idade. “Foi muito engraçado, pois quem tinha, por exemplo, 31 anos, colocou na camiseta 3.1 e por vai. Na época, se fossemos somar as nossas idades, daria mais de 300 mesmo”, disse Neide Melo, bem humorada.

A partir do primeiro ano a residência da família de Neide Melo se tornou uma espécie de sede do bloco “A Soma”. Ela e sua mãe, a comerciante Francisca Melo, mais conhecida por dona “Francisca de Nazir”, dedicam atenção especial ao bloco. Apesar de não haver vendas de abadás, todos os anos na véspera do concurso para escolha do Rei Momo e da Rainha do Carnaval, elas mandam confeccionar lotes de camisas com estampa do bloco e vendem a preço acessível, para as pessoas usarem na praia, no dia do evento. É uma maneira de popularizar mais ainda “A Soma”.

Nos últimos anos a Prefeitura de Areia Branca adotou o bloco, incorporando-o à programação do Carnaval bancado pelo município. Este ano, há garantias de dois trios elétricos e uma orquestra de frevo. Mas “A Soma” ganhará mais um reforço substancial em termos de estrutura, pois o empresário Medeiros Maia, do Supermercado Show de Preço, criou o Bloco da A SOMA 4Parceria que vai distribuir mil camisas com os clientes da loja. Essas pessoas vão brincar junto com a “A Soma” e para isso, o empresário colocará no meio do povo mais dois trios.

A performanfe do presidente da Fundação de Cultura, Ramon Rodney, que também puxa o bloco na base do frevo

A lojista Neide Melo disse que não é expert em estimativas, mas arrisca uma projeção: entre 8 mil e 10 mil pessoas deverão brincar o Carnaval no bloco “A Soma” na próxima segunda-feira, 7 (a concentração começa às 16h, em frente a residência de Neide Melo, à rua Cel. Liberalino). Não há dúvidas que esse bloco alternativo atrai multidão incalculável.

Números à parte, “A Soma Dá Mais de 300” chega aos 12 anos como marca registrada da folia de Momo em Areia Branca. É um diferencial em relação aos outros blocos, pois nele, não há limite de participantes. São foliões locais e vindos de diversas cidades e estados brasileiros, e até do exterior. Uma mistura de cores e raças.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *