Serra do Mel completa 34 anos de emancipação política se destacando como grande celeiro produtivo do RN

Serra do Mel, uma jovem cidade que não para de crescer

Nesta sexta-feira, 13, Serra do Mel completou 34 anos de emancipação política, tendo conseguido sua autonomia, ou seja, se desmembrando dos municípios de Assu, Areia Branca e Carnaubais no dia 13 de maio de 1988, em conformidade com a Lei Estadual nº 803.

O município de Serra do Mel está localizado numa área onde o sertão e o litoral se encontram. Daí, o projeto Serra do Mel ter sido dividido em vilas comunitárias de produção, prosperando rapidamente ao mesmo tempo em que crescia a sua população.

Sua economia tem como base cooperativista voltada para a produção organizada através do cultivo da terra, com ênfase para a exportação de castanha de caju.

Prefeito Josivan Bibiano, um dos grandes responsáveis pela transformação do município de Serra do Mel

Segundo levantamento histórico, o município de Serra do Mel nasceu de um projeto de colonização idealizado no ano de 1970 pelo então governador do Estado do Rio Grande do Norte, Cortez Pereira, sendo implantado em 1972, durante seu governo. Todavia, só veio a ser concluído no ano de 1982 com a ocupação de quase todas as vilas rurais.

Sua colonização teve início a partir de sua criação, com o assentamento das primeiras vilas, que foram: Paraná, São Paulo, Guanabara, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. No total, sendo estruturado para atender 1.196 famílias.

Gradativamente o deslocamento das famílias ia ocorrendo, e no ano de 1982, ano de conclusão do projeto, já contabiliza 19 vilas colonizadas, e um total de 1.003 famílias residentes.

Já no ano de 1984 se deu a colonização de todas as vilas da qual compunha o projeto inicial, e os primeiros resultados começaram a surgir da produção agrícola.

Energias renováveis trouxeram perspectiva de futuro e oportunidades de trabalho para os serramelenses

Em pouco tempo, Serra do Mel passou a ser um grande celeiro produtivo do Rio Grande do Norte, na modalidade principal do cooperativismo aliado à cultura do cajueiro e a grande exportação da castanha do caju.

Atualmente, além da produção da castanha do caju e seus derivados, a Serra do Mel tem parques eólicos gerando energia renovável produzida pela força dos ventos.

Fotos: Divulgação

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *