Procissões marítima pela manhã e terrestre à tarde encerram a programação da festa de Nossa Senhora dos Navegantes

PEREGRINOS DEVEM CHEGAR CEDO PARA O EMBARQUE ANTES DA PROCISSÇÃO, A PARTIR DAS 9H DE HOJEPeregrinos chegam de todos os recantos do Estado para participar da procissão marítima

Nesta quinta-feira, 15, encerram os festejos iniciados no último dia 5, em homenagem a Nossa Senhora dos Navegantes, padroeira dos marítimos. Com mais de um século de tradição, a festa se consolida como o maior evento sociorreligioso do município e uma das mais tradicionais do interior do Rio Grande do Norte.

O ponto alto deste último dia de programação,feriado municipal, é a procissão marítima que começa às 9h30 com os preparativos para o embarque dos peregrinos no Cais Tertuliano Fernandes. Às 10h30 começa o passeio dos barcos com a imagem da santa pelas águas do rio Apodi/Mossoró.

A Missa do Peregrino neste ano também será pela manhã, às 8h, na igreja matriz, presidida pelo bispo diocesano dom Mariano Manzana. Por volta das 17h30, será celebrada a missa de encerramento, no Centro Juvenil Dom Bosco, concluindo as festividades alusivas à protetora dos navegantes.

Na parte da tarde, às 16h30, começa a procissão terrestre saindo da matriz para a Igreja de Nossa Senhora dos Navegantes, onde será celebrada missa campal na quadra do Centro Juvenil Dom Bosco, encerrando as festividades alusivas à protetora dos navegantes, que tem como tema geral este ano “Com a Mãe dos Navegantes, Lançamos as Redes da Fé”.

A programação religiosa desse derradeiro dia de festejos, é a seguinte: às 6h, Missa; 8, Missa do Peregrino, presidente: Dom Mariano Manzana; 9h30, Embarque no Cais Tertuliano Fernandes; 10h30, Procissão Marítima; 12h, Adoração e Bênção do Santíssimo Sacramento; 14h, Louvor, Renovação Carismática Católica; 15h, Terço da Misericórdia; 16h30, Procissão Terrestre em rumo à Igreja dos Navegantes; 17h30, Missa de Encerramento e descida das Bandeiras, presidente: dom Mariano Manzana; 19h, Show do Grupo Doidin de Deus.

Para o momento mais esperado da Festa dos Navegantes, a Agência da Capitania dos Portos em Areia Branca adotou algumas providências, uma delas a ampliação do número de embarcações disponíveis para os fiéis e devotos da santa poderem participar da procissão marítima. Isso graças a um trabalho de conscientização junto aos proprietários desses transportes feito pelo capitão-tenente Adroaldo Amorim, agente da Capitania dos Portos.

Origem da festa

FESTA DA PADROEIRA DOS MÁRITIMOSHomenagem à padroeira dos marítimos é uma festa secular em Areia Branca

A origem da Festa dos Navegantes em Areia Branca data de maio de 1911. Foi o resultado de uma promessa feita pelo maquinista Manuel Félix do Vale, que quase perdeu a vida e da sua tripulação ao tentar salvar de uma avaria em alto-mar a embarcação que levava para ser consertada no Recife (PE).

Os mais antigos contam que em maio de 1911 o conhecido rebocador “Sucesso”, do tráfego do porto local, viajou à capital pernambucana rebocado pelo vapor “Assu”, a fim de ser consertado no estaleiro daquela capital. Navegava assim, quando na altura do Cabo Santo Agostinho o cabo bastante longo que o prendia ao vapor enroscou em uma hélice em consequência do mar agitado.

A situação ficou perigosa diante da certeza de que a embarcação avariada iria a pique caso o cabo não fosse retirado da hélice do vapor. Foi quando o maquinista, o areia-branquense Manoel Félix do Vale, católico fervoroso, membro de tradicional família local, se lançou na água com uma faca na mão, colocando em risco a própria vida. Numa manobra rápida e corajosa, ele conseguiu cortar o cabo enrolado na hélice, evitando assim, com esse gesto heroico, o naufrágio do rebocador.

Ao mergulhar, certo do perigo que enfrentava, o maquinista fez uma promessa a Nossa Senhora dosa Navegantes: de trazer para Areia Branca a imagem da santa, entroná-la no altar da igreja e todos os anos, no dia 4 de julho, organizar uma procissão marítima em homenagem à sua protetora.

A data da festa, porém, foi posteriormente mudada para 15 de agosto pelo bispo dom Antônio Cabral dos Santos, pelo fato de ser consagrada a Nossa Senhora.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *