Prefeitura de Serra do Mel passa por um momento delicado em termos financeiros; gestor teme que situação piore

FABINHO DIFICULDADES“Fabinho” alega dificuldades para manter a máquina administrativa funcionando

Um município potiguar difícil de ser administrado é Serra do Mel. Na verdade não se trata de um simples município, mas de um “país”. São 23 núcleos habitacionais (22 vilas rurais e 1 vila central, a Vila Brasília, sede administrativa) que receberam, cada uma, o nome de um estado brasileiro.

Apesar dessa complexidade e dos parcos recursos arrecadados pelo município, o prefeito Fábio Bezerra de Oliveira, “Fabinho” (PMDB), está conseguindo manter a máquina administrativa nos trilhos. Embora temeroso quanto ao futuro.

O gestor não esconde de ninguém que as finanças da Prefeitura de Serra do Mel passam por um momento delicado. “Se a nossa arrecadação não reagir positivamente nos meses seguintes, a situação ficará insustentável, seremos forçados a tomar decisões drásticas e de certa forma antipáticas perante a opinião pública”, alerta.

Para o gestor, o momento é de sacrifício e de muita cautela, pois os recursos que entram nos cofres da prefeitura não estão cobrindo as despesas, o que compromete o andamento das ações propostas para o período, sem contar que mexe com a parte mais sensível do servidor público municipal: o bolso.

Numa conversa amistosa com o editor do Blog, o prefeito “Fabinho” revelou o seu grande temor: ser obrigado a reduzir o quadro de servidores em razão de não ter dinheiro para manter o pagamento da folha de pessoal, que já está comprometida.

A luz no fim do túnel para a gestão do prefeito “Fabinho” é o desfecho de uma ação movida na Justiça contra a Agência Nacional do Petróleo (ANP) para corrigir perdas referentes aos royalties pagos pela Petrobras pela exploração de petróleo e gás em solo serrano.

A questão foi julgada favorável à Prefeitura de Serra do Mel, mas o montante corrigido foi depositado em juízo porque a ANP recorreu da sentença favorável ao município.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *