Prefeita de Areia Branca envia à Câmara projeto que institui adicional de periculosidade à Guarda Municipal da ordem de 30%

LUANA BRUNO TERÁ PROGRAMA DE RÁDIOLuana Bruno assegura direito reivindicado pelos integrantes da Guarda Municipal   

Reconhecedora do papel desempenhado pela Guarda Municipal no zelo com o patrimônio público e contribuindo para a segurança e a integridade física do cidadão, a prefeita Luana Bruno (PMDB) está atendendo integralmente a reivindicação feita pela categoria no tocante a melhorias salariais.

Nesta terça-feira, 17, deverá tramitar na Câmara Municipal de Areia Branca o projeto de Lei do Executivo que dispõe sobre o adicional de periculosidade aos guardas municipais em exercício no âmbito da municipalidade. A categoria terá um aumento de 30% sobre os vencimentos atuais.

De acordo com o projeto, o adicional de periculosidade será instituído nos seguintes termos: 10% com efeitos financeiros a partir deste mês de setembro; o valor remanescente (20%) será instituído proporcionalmente em duas etapas, cada uma com 10% em datas e condições a serem regulamentadas mediante decreto.

O benefício se deve ao grau de periculosidade das atividades exercidas pelos guardas municipais e já está autorizado para ser incorporado aos vencimentos desses servidores no contracheque a partir deste mês.

Esse adicional já havia sido assegurado pela prefeita Luana Bruno para vigorar a partir deste mês, mas o projeto precisa ser votado na Câmara. Com a aprovação da lei, ficará instituído o adicional de periculosidade para os ocupantes do cargo de Guarda Municipal no percentual de 10%, incidente sobre o salário base.

O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Areia Branca, José Pedro Neto, considera que a concessão do adicional é uma conquista da categoria da Guarda Municipal, que vinha reivindicando esse direito junto ao Executivo.

Vale salientar que os guardas municipais vinham reivindicando esse direito há muito tempo e somente agora, na gestão da prefeita Luana Bruno, estão sendo contemplados com esse percentual depois de dois anos sem nenhum aumento.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *