População de Serra do Mel comemora hoje o “Dia do Colono” e a data do início do “descobrimento” do município

SERRA DO MEL ENTRADA DA CIDADEEntrada da sede administratva de Serra do Mel, hoje, 41 anos depois de sua colonização 

Nesta segunda-feira, 14, é feriado municipal em Serra do Mel. A Lei Municipal nº 160/2002, de autoria do então vereador Luiz Rocha e sancionada pelo prefeito da época, José Cortez Pereira de Araújo, reconhece o dia 14 de outubro como sendo o dia do “descobrimento” do município serrano.

Segundo as informações históricas, teria sido o dia 14 de outubro de 1972 que começou o desmatamento da área para o início do então projeto de colonização de Serra do Mel. Mas com o passar dos anos, os próprios moradores popularizaram a data como sendo o “Dia do Colono”.

Com relação à data e, consequentemente o feriado, o autor da ideia foi o hoje blogueiro e advogado serra-melense Aldo Araújo, sugerida à época ao então vereador Luiz Rocha, que é o autor do projeto instituidor da atual lei municipal.

Segundo Aldo Araújo, que tem atuação destacada no município como advogado, além de prestar assessoria jurídica em diversas cidades, a população ainda se divide em relação ao feriado de 14 de outubro.

Para uns, a data simboliza o início do desmatamento para a construção do projeto de colonização de Serra do Mel. Já outra corrente prefere comemorar o “Dia do Colono” na data mencionada.SERRA DO MEL HOJE                 Cidade melhora sua infraestrutura com a introdução de traços de modernidade em projetos urbanos  

De acordo com informações históricas, o município de Serra do Mel nasceu de um projeto de colonização idealizado em 1970 pelo então governador potiguarCortez Pereira, implantado em 1972, ainda em seu governo, mas somente concluído no ano de 1982 com a ocupação de quase todas as suas vilas rurais.

O projeto de colonização que deu origem ao município foi executado conforme o modelo dos Moshav (Israel) e tinha por finalidades constituir uma reforma agrária na região, por meio de doação de lotes em condições favoráveis aos pequenos agricultores. O objetivo era absorver parte do contingente do parque salineiro que fora desempregado pela mecanização das salinas nas áreas próximas.

Sua colonização teve início a partir de sua criação, com o assentamento das primeiras vilas: Paraná, São Paulo, Guanabara, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Sendo, no total, estruturado para atender 1.196 famílias.

O deslocamento dessas famílias ocorreu gradativamente, e em 1982, ano de conclusão do projeto, já contava com 19 vilas colonizadas, totalizando 1.003 famílias residentes.FÁBIO BEZERRA, PREFEITO INTERINO DE SERRA DO MEL                                  “Fabinho” é o atual prefeito do município serrano, filho do ex-prefeito “Izete”

Em 1984, se deu a colonização de todas as vilas que compunham projeto, e os primeiros resultados começaram a surgir da produção agrícola. Em pouco tempo Serra do Mel passou a ser um grande celeiro produtivo do Rio Grande do Norte, principalmente através do projeto estimulador da prática do cooperativismo aliado à cultura do cajueiro e à grande exportação de castanha de caju.

Assim, no dia 13 de maio de 1988, de acordo com a Lei nº 803, Serra do Mel conseguiu sua autonomia política, tendo suas terras desmembradas de Assú, Areia Branca, Carnaubais e Mossoró, tornando-se um novo município do Rio Grande do Norte, o único a ter sua origem a partir de uma área de assentamento de trabalhadores sem terra no Estado.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *