Pior seca das últimas cinco décadas faz ressurgir ruínas da antiga São Rafael, submersa pelas águas da barragem de Assu

0São Rafael, hoje, construída 3km acima da antiga cidade coberta pelas águas da barragem

A pior seca dos últimos 50 anos no Rio Grande do Norte, está trazendo à tona o “esqueleto” da antiga São Rafael, que em 1983 cedeu espaço para a construção da Barragem Armando Ribeiro Gonçalves, em Assu.

A cidade foi coberta pelas águas da barragem e os moradores, cerca de 3,5 mil pessoas, foram levados para a nova São Rafael, construída 3 quilômetros acima pelo Departamento Nacional de Obras conta as secas (Dnocs). 00                         Ruínas da antiga cidade reapareceram depois que o nível das águas da barragem baixou

Agora, com a estiagem, o nível das águas da barragem está baixando aceleradamente e com isso as ruínas da antiga São Rafael, que é conhecida como a “Atlântida do Sertão”, estão expostas aos que passam pelo local.

O cenário provoca um misto de saudosismo, medo e incertezas diante do quadro que se desenha na região por conta da estiagem. E fazendo muitas famílias se reencontrarem com as lembranças da antiga cidade.000                                     “Esqueletos” das antigas edificações, antes submersos, agora expostos  

Fotos: Magnus Nascimento / Tribuna do Norte

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *