Petrobras inaugura as primeiras cisternas do Programa Uma Terra Duas Águas ampliando a oferta de água no semiárido

DIRETOR PETROBRAS ESSAO diretor de Exploração e Produção da Petrobras, José Miranda Formigli, participou, ontem, 23, em Areia Branca, do lançamento do Programa Uma Terra Duas Águas (P1+2). O projeto, patrocinado pela Petrobras e desenvolvido pela Associação Um Milhão de Cisternas Rurais para o Semiárido Brasileiro (AP1MC), construirá 20 mil sistemas de captação e armazenamento de água da chuva em 210 municípios do semiárido. O apoio à iniciativa integra um conjunto de ações para enfrentamento da maior estiagem dos últimos 50 anos na região.

O diretor e o gerente executivo de Responsabilidade Social da Petrobras, Armando Tripodi, visitaram três residências no assentamento Serra Vermelha, que receberam as primeiras cisternas do programa.  “As tecnologias aplicadas aqui no semiárido são um exemplo de engenharia – soluções simples, implementadas pelos próprios agricultores e que lembram a história da Petrobras”, disse o diretor, lembrando que a Companhia no início de sua história produzia 2 mil 633 barris por dia e hoje produz cerca de 2 milhões de barris por dia graças às tecnologias construídas e adaptadas à realidade do Brasil.

A implantação dos sistemas permitirá que as famílias utilizem a água para a produção de alimentos e a criação de animais, mesmo na época da estiagem do semiárido. Além disto, as famílias serão capacitadas para a construção de bancos de sementes e plantio de mudas. O objetivo é promover o desenvolvimento rural, estimular a geração de renda e garantir a segurança alimentar de 20 mil famílias de agricultores.

Diretor de Exploração e Produção da Petrobras, José Miranda Formigli, participou de eventos nas zonas rurais de Areia Branca e Mossoró, ontem (Foto: Ribamar Dantas)

A Petrobras investirá R$ 200 milhões, no período de 12 meses, no Programa. Cerca de 60% dos municípios beneficiados estão na área de influência do Sistema Petrobras. A região é considerada estratégica para a Companhia, que tem ampliado continuamente sua presença no Nordeste e no semiárido. Atualmente, a região conta com unidades de Exploração e Produção, Refino, Usinas de Biodiesel, Fábricas de Lubrificantes e de Fertilizantes, além de redes de dutos, gasodutos e postos de combustíveis.

O evento de lançamento do programa também contou com a presença do secretário de Segurança Alimentar e Nutricional do Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome , Arnoldo Campos, do representante da Articulação Semiário Brasileiro, Naidison Quintella Baptista e representantes do governo local.

Soluções simples e de baixo custo

Os 20 mil sistemas serão destinados à captação da água da chuva, que poderá ser utilizada na produção de alimentos e na criação de animais para o consumo de subsistência, além de trocas solidárias e comercialização em pequena escala. Apesar de ser caracterizada por longos períodos secos, a região registra em média 750 mm de chuva por ano, o que garante a disponibilidade de água para os reservatórios.

De acordo com as condições do local, será feita a opção por um dos quatro tipos de sistemas de captação e armazenamento: cisternas-calçadão, cisternas de enxurrada, barreiro-trincheira e barragens subterrâneas. Todas elas são consideradas soluções simples, de baixo custo, fáceis de serem implementadas e já adaptadas às condições de vida da população rural do semiárido.
Manejo sustentável da terra e das águas

Para a execução do projeto serão capacitados, no período de um ano, 1.300 pedreiros em técnicas de construção destinadas à captação de água de chuva. Também está prevista a construção de locais para armazenamento de sementes e viveiros de mudas. Essas ações fazem parte de uma estratégia mais ampla, cujo objetivo é apoiar a articulação, o fortalecimento e a emancipação da sociedade civil por meio da capacitação para o manejo sustentável da terra e das águas.

Na escolha das famílias que receberão os sistemas, será dada prioridade àquelas que têm renda per capita familiar de até meio salário mínimo, localizadas na zona rural, com crianças de até seis anos ou com crianças e adolescentes matriculados e frequentando a escola. Também serão consideradas famílias integradas por adultos com idade igual ou superior a 65 anos, pessoas com deficiência ou que tenham mulheres como chefes de família. Entre as condições técnicas, serão analisados aspectos relacionados à área disponível, características geológicas e de solos.

Compromisso com o desenvolvimento social

Contribuir para o desenvolvimento local, regional e nacional e promover a inserção social digna e produtiva da população de baixa renda são objetivos do Programa Petrobras Desenvolvimento & Cidadania, que já investe em outras iniciativas no semiárido brasileiro. É o caso do Selo Unicef Município Aprovado, que atua na proteção dos direitos de crianças e adolescentes em cerca de 1.500 municípios.

Ao realizar investimentos sociais, a Petrobras reafirma sua atuação de empresa socialmente responsável, de acordo com o que estabelece seu Plano Estratégico. Ao mesmo tempo, contribui para o fortalecimento das políticas públicas, pois entende que as empresas são capazes de responder às demandas sociais de forma mais eficaz quando disponibilizam competências técnicas e recursos financeiros em sinergia com as ações governamentais e da sociedade civil organizada.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *