“Papangu do Amaral” inicia contagem regressiva para “invadir” a cidade de Areia Branca no sábado de “Zé Pereira”

1_thumb[1]“Troça” familiar, “Papangu do Amaral” se transformou num grande bloco de rua

Os tradicionais “ursos” improvisados pela garotada, percorrendo as ruas de Areia Branca, é o primeiro sinal de que o Carnaval está próximo. E, de fato, a cidade já se movimenta com vistas ao reinado de Momo que independente de qualquer, coisa será intenso, com escolas de samba e as tradicionais troças e “bicharadas” fazendo a alegria dos foliões.

Uma das troças que vem ganhando espaço no carnaval local é o “Papangu do Amaral”. A cada ano mais pessoas aderem à maneira irreverente de brincar nas ruas, descontraídas e sem nenhum compromisso, a não ser extravazar a alegria.

O bloco não tem dono nem uma diretoria formada, mas uma das responsáveis pelo crescimento da troça, a engenheira civil, Carine Amaral, já iniciou a contagem regressiva para sair às ruas, fantasiada, meio à multidão que “invade” a cidade no Sábado de “Zé Pereira”, movida pela animação.1 papangu                                                  Para brincar no bloco a fantasia fica a critério de cada um

A exemplo dos anos anteriores, a concentração e saída do “Papangu do Amaral” é na famosa esquina de “Maria de Virgílio”, matriarca da família Amaral, a partir das 16h, no cruzamento da rua Calafates com a Coronel Liberalino. Graças a sua irreverência e animação o “Papangu do Amaral” constitui um diferencial na folia de Momo e a cada ano conquista novos simpatizantes.

Um detalhe: para brincar no bloco não precisa comparar fantasia. Cada um se veste à sua maneira. Porém, há um critério, rigoroso: no “Papangu do Amaral” é proibido tristeza, lá só tem lugar para a felicidade.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *