Ouvidora do Ministério Público diz que ficou muito impressionada com enredo do filme

MATUTO O areia-branquense “Pintado” encarna bem o papel do nordestino sofrido

Contagem regressiva para o desembarque da saga nordestina “Inácio Garapa, Um Matuto Sonhador” em solo areia-branquense. Será neste sábado, 18, a partir das 21h, no Ivipanim Clube, onde o cinéfilo João de Castro, da Focalize Vídeo Produções, vai armar sua megaestrutura de telão para exibição do filme que já é sucesso no Estado. Depois do filme tem festa de arromba com a banda Flash Back.

Quem assistiu ao filme, fala com entusiasmo da produção 100% alexandriense (o filme foi todo gravado no município de Alexandria). A promotora de Justiça Érica Canuto de Oliveira Veras, que é Ouvidora do Ministério Público do Rio Grande do Norte, assistiu a saga de “Inácio Garapa” e leia o que ela escreveu a respeito do filme.

ÉRICA CANUTO “Parabéns pelo lançamento do filme “Inácio Garapa – Um Matuto Sonhador”. Quem foi ao Jardim de Infância (local onde o filme foi lançado, em Alexandria, no início do mês de novembro) teve a oportunidade de presenciar uma grande produção, com muito humor e bom gosto. Fiquei muito impressionada com o enredo, que prendeu a todos do início ao fim. Difícil dizer qual foi a melhor cena (o sonho de Inácio Garapa, que acorda com um cachorro lambendo sua boca, a mudança da família do protagonista na carroça, o “banho de cultura” de Inácio Garapa na casa de Maria Carlos, o incêndio da casa, com toda aquela produção de efeitos especiais ou, mesmo, a fuga de Inácio Garapa só de cueca por entre os matos, poças de lama e outros obstáculos). Tudo foi tratado com muito profissionalismo por J. Gomes. A trilha sonora, a escolha das paisagens, a fotografia, o enredo, os objetos e figurinos utilizados e o toque de realidade, com pessoas conhecidas e locais reais. Sem dúvida, J. Gomes realizou seu sonho e o fez dando um grande presente a Alexandria. Isso é sonhar coletivamente, como fez também George Veras, quando lançou seu livro “Alexandria – Retratos de uma história”. Um sonho coletivo, que culminou em um presente para todos os alexandrienses. J. Gomes está de parabéns, a equipe que o ajudou está de parabéns, como também os atores, os patrocinadores, que agiram com muito profissionalismo (não havia papel secundário, todos foram protagonistas da nossa própria história – o sertanejo na peleja). Parabéns mais uma vez pela coragem e obstinação e por ter criado um personagem que certamente se transformará em um ícone, como Jeca Tatu de Monteiro Lobato e Zé Grilo de Ariano Suassuna. Recomendo o filme para assistir em família (classificação livre) e presentear amigos e parentes” – Dra. Érica Canuto de Oliveira Veras.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *