Novo valor da bandeira tarifária barateia conta de luz a partir desta segunda-feira

Medida atinge concessionárias de todo o país vão pagar menos (Foto: Reprodução)
A conta de luz ficará mais barata para os consumidores a partir
desta segunda-feira, 1º de fevereiro. É quando entra em vigor o novo valor da
bandeira tarifária que será o patamar 1 da cor vermelha. Assim, os clientes das
concessionárias de todo o país vão pagar menos de adicional a cada 100
quilowatts-hora (kWh) gastos. O custo a mais será de R$ 3 e não mais de R$ 4,50
que vinha nas contar desde agosto de 2015. Com a decisão da Agência Nacional de
Energia Elétrica (Aneel) de baixar o valor da bandeira, o impacto final nas
faturas será de até 3%. 
Para reduzir o valor na cobrança extra de energia, a Aneel
criou dois patamares para a cor vermelha, o número 1, com a cobrança de R$ 3
para cada 100KWh consumidos e mantendo para o número 2 o valor de R$ 4,50 a cada
100 kWh. A agência também baixou o valor da bandeira amarela de R$2,50 para R$
1,50.
Mas é possível economizar ainda mais na conta de luz, ensinam
especialistas. Com medidas simples e a mudança de hábitos, os consumidores
poderão ter alívio maior no fim do mês.
O sistema de bandeira é um mecanismo de cobrança nas contas de
luz para cobrir a elevação do custo de produção de energia com acionamento de
usinas termo-elétricas, que geram energia mais cara. 
Essas unidades são ligadas
quando as hidrelétricas produzem menos devido ao baixo nível dos reservatórios
de água.
A criação do novo patamar na bandeira é uma ‘resposta’ à
redução do custo de energia, devido ao desligamento de termelétricas. Isso foi
possível pelo aumento do nível dos reservatórios do Sul e Sudeste (provocado
pelas chuvas que ocorreram nos últimos meses) e ao começo da operação de novas
usinas hidrelétricas. No dia 26 deste mês a agência definirá qual bandeira
valerá para as contas em março.
A Aneel alerta, no entanto, que mesmo com a redução do valor do
adicional na conta de luz, a bandeira permanecer na cor vermelha indica que o
custo de produção de energia ainda está alto no país, apesar do desligamento de
termelétricas.
“Mesmo com a melhoria no cenário de geração de energia
elétrica, o sinal para o consumo ainda é vermelho, e os consumidores devem
combater desperdícios”, ressaltou a agência.

A cada mês, as condições de operação do sistema são reavaliadas
pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), que define a melhor estratégia
de geração de energia para atendimento da demanda. Desde que o sistema de
bandeiras tarifárias foi implantado, em janeiro de 2015, todos os meses a
bandeira aplicada foi a vermelha.
Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *