Morre o jornalista Joelmir Beting, um dos principais nomes da imprensa do Brasil; palmeirense fanático, ele será homenageado pelo clube

650x375_1294069Joelmir Beting morreu na madrugada desta quinta-feira

Jornalista, comentarista de economia e política do Grupo Bandeirantes, Joelmir Beting morreu na madrugada desta quinta-feira, 29, à 0h55, em São Paulo. Ele sofreu um acidente vascular encefálico Hemorrágico no domingo, considerado “irreversível”.

O corpo está sendo velado desde as 8h no Cemitério do Morumbi, local próximo ao hospital Albert Einstein, na zona sul da capital paulista. Às 14h, a sala do cemitério será fechada para um ato religioso apenas com a presença dos familiares, e às 16h o corpo será levado ao crematório do Cemitério Horto da Paz.

O jornalista de 75 anos estava internado desde 22 de outubro por causa de complicações renais, resultantes de uma doença autoimune. O quadro se agravou após o acidente vascular hemorrágico, que o deixou em coma e respirando com ajuda de aparelhos.

Nascido em Tambaú, interior de São Paulo, em 21 de dezembro de 1936, Joelmir Beting foi um dos principais nomes da imprensa do Brasil. Conhecido do público, o jornalista passou pelos principais veículos de comunicações brasileiros como Folha, Estadão, Globo e Bandeirantes.

O que disseram sobre Joelmir Beting

“Ele foi o melhor jornalista que um filho pode ter como pai”, diz filho Mauro Beting sobre a a morte do pai. Em texto publicado no blog do diário Lance!, Mauro homenageou o pai, dizendo ter tomado conhecimento da notícia à 1h15. “A ausência dele não tem nome. Como jamais saberei escrever o que ele é”, relatou o filho. Ele estava trabalhando na Rádio Bandeirantes quando recebeu a notícia e a veiculou ao vivo.

Fui colega dele na Band e toda vez que entrava na redação tinha uma frase interessantíssima para dizer. Ele sempre dava um enfoque genial para as coisas. Sempre tinha a frase que todo jornalista quer ter na ponta da língua. Ele era o rei da metáfora e se servia muito bem dela para fazer os outros entendenrem o que estava querendo dizer. Um verdadeiro gênio. Também tenho contato com os familiares dele. Joelmir tinha a família mais feliz que eu já vi na vida. Era palmeirense tão doente que tinha uma fazenda chamada Palestra. Dizia que o nome vinha do Palmeiras e também das inúmeras palestras que dava. Eu estava no ar quando fiquei sabendo e foi dificílimo continuar. Era um cara maravilhoso, adorável.
Bárbara Gância, jornalista, por telefone

Tentei fazer uma homenagem para ele, mas me faltaram palavras. Trabalhamos juntos na “Folha de S. Paulo”. Ele era um ser incrível, muito bem humorado, não havia quem não gostasse dele. Brincávamos muito porque, além de tudo, torcíamos para o Palmeiras e sempre fazíamos piadas, inclusive sobre a má fase do time. Ele tinha um humor muito inteligente. Quando o Joelmir chegava, a redação se iluminava e não estou falando isso só porque ele morreu, não. É uma pessoa que, sem dúvida, vai deixar muita saudade.
Boris Casoy, jornalista, no “Jornal da Noite”

Uma honra imensa ter sido, um dia, colega de redação de um sujeito talentoso, divertido, decente e querido como o jornalista. Joelmir Beting por décadas alertava para o Brasil dar certo. Inteligente, irônico e simples. Deixou um legado a ser honrado.
William Bonner, jornalista, pelo Twitter

Meu afeto à querida família Beting. Tipo raro no jornalismo, Joelmir encantava plateias com inteligência, humor e ironia
Marcelo Tas, jornalista, pelo Twitter

Tive o privilégio de conviver com Joelmir na mesma redação quando eu era jornalista da Band FM e ele na rádio AM e TV.Fica em paz.
Serginho Groismman, apresentador, pelo Twitter

Perdemos o cara das metáforas criativas, charme, capacidade de traduzir o linguajar segregacionista do economês em idioma popular..Joelmir…
Roberto Cabrini, jornalista, pelo Twitter

O jornalismo brasileiro perde um jornalista de placa
Gloria Perez, dramaturga, pelo Twitter

Morre Joelmir Beting, o “mago” do jornalismo brasileiro.
Milton Neves, jornalista, pelo Twitter

Em economia, é fácil explicar o passado. Mais fácil ainda é predizer o futuro. Difícil é entender o presente.” Joelmir Beting in memoriam
Gilberto Gil, músico, pelo Twitter

Vai fazer falta enorme! Grande profissional!
Leda Nagle‏, jornalista, pelo Twitter

Pena que nem todos que o admiravam puderam conhecer a pessoa do Joelmir. Muito trabalhador, honesto, tímido e, acreditem, muito engraçado.
César Filho, jornalista, pelo Twitter

]Joelmir Beting: um dos cérebros mais brilhantes que conheci! Culto, humor certo, carismático e grande colega! Cumpriu sua missão com louvor!
Renata Fan, jornalista, pelo Twitter

O dia começou triste com a notícia do falecimento do Joelmir Beting. Oremos.
Patricia Maldonado, jornalista, pelo Twitter

Joelmir Beting tirou o jornalismo econômico da linguagem difícil de entender. Foi pioneiro. Mostrou o caminho de escrever e falar claro. – Miriam Leitão, jornalista, pelo Twitter

· Com informações do Portal UOL / São Paulo

Homenagem ao palmeirense fanático

OO1Camisa do Palmeiras recebeu layout especial para homenagear o jornalista Joelmir Beting

No velório de Joelmir Beting, na manhã desta quinta-feira, 29, no Morumbi, em São Paulo, o filho do jornalista, Mauro Beting, afirmou que no último jogo do Palmeiras, no próximo sábado, 1, em partida contra o Santos, na Vila Belmiro, o elenco entrará em campo com uma camisa 10 em homenagem ao pai. Palmeirense fanático,  Beting ia na contramão dos jornalistas que costumam fazer mistérios pelos times que torcem e nunca escondeu sua paixão.

Ele é autor de uma famosa frase sobre o que é o palmeirense, que, inclusive, ficava estampada no vestiário do time no antigo Palestra Itália. “Explicar a emoção de ser palmeirense, a um palmeirense, é totalmente desnecessário. E a quem não é palmeirense…é simplesmente impossível”, dizia.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *