Lindemberg, assassino de Eloá Pimentel, foi condenado a 98 anos e 10 meses de prisão

LIMD Lindemberg Alves, acusado de matar sua ex-namorada Eloá, é visto ao lado de sua advogada Ana Lucia Assad momentos antes do primeiro dia de julgamento (Foto: Nelson Antoine/Fotoarena/Folhapress)

Lindemberg Alves Fernandes, 25, foi condenado a 98 anos e 10 meses de prisão nesta quinta-feira pela morte de Eloá Pimentel, 15, em 2008. A sentença foi proferida pela juíza Milena Dias. Pela lei brasileira, ele não pode ficar preso por mais de 30 anos. Como a soma das penas excede este limite, elas devem ser unificadas.

Na sentença a juíza afirma que Lindemberg agiu com frieza e premeditadamente. “O réu agiu com frieza, premeditadamente em razão de orgulho e egoísmo”, diz. A advogada de defesa Ana Lúcia Assad, pediu nulidade absoluta do julgamento.

A mãe de Eloá, Ana Cristina Pimentel, chorou ao ouvir a sentença. “A justiça foi feita. Estou aliviada, graças a Deus”, disse. Já Lindemberg ouviu a sentença com a cabeça baixa e nada disse, segundo o TJ.

O crime ocorreu na casa da vítima, em Santo André (Grande São Paulo), após a adolescente ter sido mantida em cárcere privado por mais de cem horas. Os jurados reconheceram todos os crimes.

A pena total foi a soma das seguintes condenações: 30 anos pelo homicídio de Eloá Pimentel; 20 anos pela tentativa de homicídio a Nayara Rodrigues; 10 anos pela tentativa de homicídio do PM Atos Valeriano; 24 anos e dois meses para os cinco cárceres privados; 14 anos e oito meses pelos quatro disparos com arma de fogo. (Com informações da Folha.com).

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *