Lei que denominou “Luiz Fausto de Medeiros” o Terminal Salineiro de Areia Branca foi sancionda pelo então presidente, Fernando Henrique Cardoso

3gO início da construção do Terminal Salineiro

A Lei nº 8.976, de 6 de janeiro de 1995, que denomina “Luis Fausto de Medeiros” o Porto-Ilha de Areia Branca, situado neste município, foi assinada pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso.

Nos seus escritos sobre Areia Branca, o saudoso Vingt-un Rosado sempre considerou Luiz Fausto de Medeiros o grande trabalhador do Porto-Ilha de Areia Branca. “O Porto-Ilha, sem dúvida uma brilhante solução de Andreazza (referência ao ministro dos Transportes na época da construção do terminal, Mário Andreazza) não era o sonho de Luis (Fausto) e Vingt-un. Mas, sua localização perto de Areia Branca não deixou de ser uma homenagem aos pioneiros. Nominá-los com o grande Luiz Fausto, foi iniciativa minha, junto ao deputado federal Laíre Rosado”, escreveu o mestre Vinht-un.

O Blog publica o ato administrativo da Presidência da República, que institui a denominação do Terminal Salineiro.

 

Presidência da República
Casa Civil
Subchefia para Assuntos Jurídicos

LEI Nº 8.976, DE 6 DE JANEIRO DE 1995.

 

Denomina “Luís Fausto de Medeiros” o Porto-Ilha de Areia Branca, situado no município do mesmo nome, Estado do Rio Grande do Norte.

        O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

        Art. 1º Fica denominado Porto-Ilha “Luís Fausto de Medeiros” o atual Porto-Ilha de Areia Branca, situado no município do mesmo nome, no Estado do Rio Grande do Norte.

        Art. 2º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

        Art. 3º Revogam-se as disposições em contrário.

        Brasília, 6 de janeiro de 1995; 174º da Independência e 107º da República.

FERNANDO HENRIQUE CARDOSO
Odacir Klein

Origem

2230679082Mário Andreazza (o quarto, à dir.) na inauguração do Porto-Ilha

A construção do Porto-Ilha de Areia Branca resultou da necessidade de suprir a demanda de sal marinho no mercado interno brasileiro. Dentre as hipóteses analisadas prevaleceu a da execução do sistema ilha artificial. O Decreto nº 66.154, de 3 de fevereiro de 1970, aprovou a constituição da empresa de economia mista Termisa – Terminais Salineiros do Rio Grande do Norte S.A. e, em maio de 1971, as obras foram iniciadas.

Após um período de paralisação, foi dado prosseguimento em fevereiro de 1973 e, no dia 1º de março de 1974, a ilha artificial construída de areia e aço, em alto mar, com aproximadamente 15 mil metros quadrados, passou a ser o porto de escoamento de todo o sal produzido no Rio Grande do Norte, realizando sua primeira operação no dia 04 de setembro de 1974.

O Terminal Salineiro de Areia Branca Luiz Fausto de Medeiros, também passou a ser chamado de Porto-Ilha. TERMINAL ABRAN              Terminal Salineiro hoje, com a estrutura totalmente ampliada

Na construção desse terminal foram investidos 35 milhões de dólares. Um projeto de engenharia da empresa americana Soros Associates Consulting Engineers, reconhecido internacionalmente que ganhou o primeiro lugar em engenharia marítima e considerado um dos dez melhores projetos em todos os ramos da engenharia. É uma obra pioneira em toda a América Latina.

O porto é administrado pela Companhia Docas do Rio Grande do Norte (Codern). Está localizado a 26 km a nordeste da cidade de Areia Branca, ficando o Porto-ilha cerca de 14 km distante da costa.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *