Jogador do Vasco da Gama foi amarrado, torturado e atingido por socos e pontapés por ter se envolvido com mulher do chefão do tráfico

5Bernardo, jogador do Vasco, teria passado maus momentos nas mãos dos trarficantes

Vinicius Castro
Do UOL, no Rio de Janeiro

O meia do Vasco, Bernardo, está assustado com a repercussão do episódio dando conta da agressão sofrida em uma comunidade do Rio de Janeiro na madrugada da última segunda-feira. O jogador do Vasco deixou o Rio de Janeiro e vai prestar depoimento na 21ª DP (Bonsucesso) durante a próxima semana. Em conversas com amigos, ele negou ter sido espancado, mas confirmou que foi submetido a uma tortura psicológica por traficantes do Complexo da Maré. Bernardo teve de se despir e recebeu tapas no rosto.

Segundo informações da Polícia, o meia do Vasco foi amarrado, torturado e atingido por socos e pontapés. Ele teria se relacionado com a mulher de um dos líderes do tráfico na comunidade. O traficante seria Marcelo Santos das Dores, conhecido como Menor P. A mulher que se relacionou com Bernardo é Dayana Rodrigues, 23 anos, uma das namoradas do bandido.

De acordo com as primeiras investigações, Bernardo foi salvo pelo lateral Wellington Silva, do Fluminense. Ele pediu aos traficantes para que não matassem o companheiro, alegando que a retaliação seria pior, visto que o local ainda não conta com uma UPP (Unidade de Polícia Pacificadora). No entanto, Bernardo revelou a amigos que o jogador do Fluminense só apareceu no local após o desfecho do caso.

O meia vascaíno descartou ter passado por uma período de espancamento, mas confirmou que foi colocado em um carro pelos bandidos e sofreu tortura psicológica. O atleta foi ameaçado de morte e levou tapas no rosto. No entanto, ele está bem e sem sinais físicos de violência.

2O aposentado Aquiles de Abreu Rodrigues, de 56 anos, negou nesta sexta-feira o envolvimento da filha Dayana Rodrigues, de 23 anos, com o meia Bernardo, do Vasco. O dois foram torturados por traficantes do Complexo da Maré na madrugada da última segunda-feira e Dayana levou cinco tiros, sendo dois de raspão. O pai mostrou-se indignado e atacou o jogador cruzmaltino. “Foi tudo fofoca e mentira. Ele é um jogador covarde e safado. A minha filha não teve nada com esse cara, isso eu posso afirmar. Esse safado desse jogador confirmou a mentira que criaram e minha filha sofreu por causa disso. Uma injustiça, covardia. Estou desde domingo sem me alimentar, sem dormir… Morremos juntos quando acontece uma tragédia com o filho”, afirmou.

Por sua vez, Dayana levou cinco tiros nas pernas de acordo com os policiais. Dois disparos atingiram a mulher de raspão. Ela foi internada no hospital Souza Aguiar. Os amigos de Bernardo não informaram quando ele retorna ao Rio de Janeiro, mas garantiram que o atleta está disposto a contribuir com a polícia nas investigações para o esclarecimento do caso.

Dayana Rodrigues, de 23 anos, o pivô do caso 

O Vasco se manifestou oficialmente nesta sexta-feira sobre o episódio envolvendo a agressão ao meia Bernardo por traficantes em uma comunidade do Rio de Janeiro na madrugada da última segunda-feira. Cristiano Koehler, diretor geral do clube, afirmou que o jogador está bem fisicamente e assegurou apoio até o esclarecimento definitivo do caso.

“Ele não está machucado e estamos dando todo o apoio e suporte necessários. Tomamos ciência do acontecimento ontem [quinta-feira] e vamos falar mais sobre o caso no momento certo. O René Simões [diretor de futebol] conversou com o Bernardo. É uma situação delicada e precisamos tomar cuidado com o lado psicológico do atleta por tudo o que já foi comentado”, afirmou ao UOL Esporte.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *