Índice de Desenvolvimento Humano Municipal subiu 47,5% saindo da classificação "muito baixo" para o nível considerado "alto"

19884123 OKMelgaço, no Pará, é uma das três cidades brasileiras com o pior IDHM

Apesar do baixo desempenho em educação, o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal brasileiro subiu 47,5% nas últimas duas décadas, saindo da classificação “muito baixo” para o nível considerado “alto”.

Essa é a uma das principais conclusões do Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil 2013, pesquisa da ONU feita com a ajuda do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), subordinado à Presidência da República, e da Fundação João Pinheiro, do governo de Minas Gerais. O estudo foi divulgado hoje.

Veja o qual foi o IDH cada cidade brasileira

Os dados foram calculados usando os Censos de 1991, 2000 e 2010 e não captam, portanto, o governo Dilma Rousseff.

Um número que exemplifica o novo cenário é a quantidade de municípios de IDHM “muito baixo”. Em 1991, eram 85%. Hoje, são apenas 0,6%. Já a quantidade de municípios brasileiros com IDHM “muito alto” saltou de 0 em 1991, 133 em 2000 (2,4%) para 1.889 (33,9%) em 2010. Isso significa que um a cada três municípios do Brasil hoje tem IDHM “alto”.

O IDHM é uma versão local do IDH, o índice social sintético usado pela ONU para avaliar o grau de desenvolvimento humano em países e considerado um contraponto a outras estatísticas, como o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), por exemplo.

Após quase dez anos, comandado no plano federal pelos governos de Fernando Henrique Cardoso (PSDB), o índice subiu 24,1% e chegou a 0,612 –ou “médio”, segundo a escala estabelecida.

Na década seguinte, dominada pelos governos petistas de Lula, o número continuou crescendo, ainda que de maneira menos acelerada (18,7%), e alcançou em 2010 0,727, quebrando a barreira de 0,700 a partir da qual o IDHM é tido como “alto”.

Melhores e piores

Florianopolis - Panoramio.com 9bFlorianópolis (SC) é a capital melhor colocada

O Atlas permite ranquear os municípios tanto em relação ao IDHM quanto às suas dimensões.

Após dez anos, as três primeiras posições da lista continuam inalteradas: em primeiro lugar está São Caetano do Sul (SP), com IDHM de 0,862. Em seguida vem Águas de São Pedro (SP), com 0,854. Depois aparece Florianópolis (SC), com 0,847, é a capital melhor colocada.

Já as três piores são Melgaço (PA), com IDHM de 0,418, seguida de Fernando Falcão (MA), com 0,443 e Atalaia do Norte (0,450).

Dentre as Unidades da Federação, o Distrito Federal (0,824) é a primeira. Mas o caso do DF, por ter uma população pequena e com forte presença de funcionários públicos federais, é considerada uma exceção. O Estado com melhor IDHM é São Paulo (0,783), seguido por Santa Catarina (0,774).

Com informações da Folha Online

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *