II Ursap realizará ações voltadas para a população masculina no Dia Nacional da Saúde do Homem

LIDIANE GARCIA,  JAILTONLidiane Garcia destaca importância das campanhas em prol da saúde do homem (Foto: Jailton Rodrigues)

A II Unidade Regional de Saúde Pública (II Ursap), com sede em Mossoró, por meio do Programa Regional de Saúde do Homem, realizará na quarta-feira, 15, das 8h às 12h, no auditório da II Ursap, um evento com ações voltadas para a saúde da população masculina.

Às 8h30, haverá palestra com o tema “Rede de Doenças Crônicas com enfoque para a obesidade”, que será proferida pela responsável técnica da Rede de Doenças Crônicas da II Ursap, enfermeira Vilcelânia Alves, e em seguida acontecerá outra palestra cujo tema será “Alimentação Saudável e Novo Guia Alimentar”, pela nutricionista da VI Diretoria Regional de Alimentação Escolar (VI DRAE) de Mossoró, Raíssa Melo.

Estarão presentes no evento a gerente da II Ursap, Lidiane Garcia; o coordenador da equipe técnica, Thiago Medeiros de Souza; a referência técnica do Programa Saúde do Homem da II Ursap, Lúcia Oliveira; e coordenadores dos programas de saúde.

Dentro da programação haverá a apresentação de experiências exitosas com temas relacionados à saúde do homem, por estudantes do Curso de Enfermagem da Universidade Potiguar (UnP), Campus de Mossoró.

“A ação tem por finalidade facilitar e ampliar o acesso da população masculina aos serviços de saúde. Por meio dela, o governo federal quer que, pelo menos, 2,5 milhões de homens na faixa etária de 20 a 59 anos procurem o serviço de saúde ao menos uma vez por ano. Além de criar mecanismos para melhorar a assistência oferecida a essa população, a meta é promover uma mudança cultural”, disse a referência técnica do Programa Saúde do Homem da II Ursap, Lúcia Oliveira.

Estudos comprovam que os homens são mais vulneráveis às doenças, especialmente as enfermidades graves e crônicas. Essa ocorrência está ligada ao fato de que eles recorrem menos frequentemente do que as mulheres aos serviços de atenção primária e procuram o sistema de saúde quando os quadros já se agravaram.

“Na maioria dos casos, os homens recorrem aos serviços de saúde apenas quando a doença está mais avançada. Deste modo, em vez de serem atendidos na unidade básica de saúde, perto de sua residência, eles precisam procurar um especialista, o que gera maior custo para o Sistema Único de Saúde (SUS) e, principalmente, sofrimento físico e emocional do paciente e também de sua família”, relata Lúcia Oliveira.

“A Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem colocou o Brasil na vanguarda das ações voltadas para a saúde do homem. O Brasil é um dos países pioneiros em instituir a Saúde do Homem enquanto área técnica do governo federal. O país foi o primeiro da América Latina e o segundo do continente americano a implementar uma política nacional de atenção integral à saúde do Homem. O primeiro foi o Canadá,” destaca Lúcia Oliveira.

“As campanhas de saúde do homem devem estar fundamentadas na Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem (PNAISH), e no debate sobre violência, acidentes de trânsito, abuso de álcool e outras drogas, estímulo à atividade física e alimentação saudável, saúde do trabalhador, além das discussões sobre práticas sexuais, sexualidade e paternidade. Todavia, não são fundamentais só campanhas, mas promover, junto à população, ações de informação, educação e comunicação em saúde visando difundir a Política de Saúde do Homem na rua, no trabalho, nas empresas, nos sindicatos, salinas, assentamentos, no polo fruticultor de Mossoró e região, escolas e de porta em porta”, disse a gerente da II Ursap, Lidiane Garcia.  

As principais doenças que atingem os homens: Obesidade masculina, Doenças cardiovasculares, Câncer de próstata (No Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens (atrás apenas do câncer de pele não-melanoma), Tabagismo, Câncer de Pênis (O câncer de pênis é um tumor raro, com maior incidência em homens a partir dos 50 anos, embora possa atingir também os mais jovens), Câncer de Pulmão, Câncer de Testículo (O tumor de testículo corresponde a 5% do total de casos de câncer entre os homens), Câncer de Esôfago (No Brasil, o câncer de esôfago (tubo que liga a garganta ao estômago) é o 6º entre mais frequente entre os homens e 15º entre as mulheres, excetuando-se o câncer de pele não melanoma).

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *