Grupo de seis vereadores fecha com a candidatura de Fábio Bezerra à presidência da Câmara Municipal de Serra de Mel

G 6 VEREADORES DE SERRA DO MELVereadores que formam o G-6: Erivaneide Zacarias, Lívia Azevedo, Vandré Veras, Fábio Bezerra, Flávio Vicente e Moabe Soares 

Enquanto a Justiça Eleitoral não decide quem deverá assumir a Prefeitura de Serra do Mel a partir de 1º de janeiro de 2013 ou se vai haver nova eleição para escolha do futuro gestor, a composição da próxima Mesa Diretora da Câmara Municipal para o biênio 2013-2014 já está fechada. O acordo foi selado no sábado, 22, entre um grupo de seis vereadores que formam o G-6.

Essa eleição para a presidência do Legislativo serrano tem um diferencial, já que o futuro dirigente da mesa poderá assumir o mandato Executivo na condição de prefeito interino, diante da possibilidade da não definição de quem será declarado prefeito eleito do município até o dia 1º de janeiro.

Na reunião do G-6 sábado passado foi definido, por consenso, o nome do vereador Fábio Bezerra (PMDB) para presidente da Mesa Diretora. O vice-presidente é Vandré Veras (PMDB); 1ª secretária, Lívia Azevedo (PP); e 2ª secretária a vereadora Erivaneide Zacarias (PP).

Os outros dois vereadores que integram o G-6 e dão sustentação à candidatura do peemedebista Fábio Bezerra à presidência da Câmara, são Flávio Vicente (PSD) e Moabe Soares (PR).

Impasse

Apesar do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RN) ter declarado a candidata Irmã Lúcia Bezerra (PMDB) prefeita eleita de Serra do Mel em 7 de outubro passado, o juiz Pedro Cordeiro, titular da 34ª Zona Eleitoral, suspendeu a sua diplomação na véspera do ato solene, mesmo depois de ter expedido ofício comunicando que ela seria diplomada.

O magistrado justificou que suspendeu a diplomação da prefeita eleita devido a insegurança do pleito transcorrido em outubro último. Na decisão, o juiz deu prazo até o dia 1º de janeiro para o TRE-RN definir se Irmã Lúcia deve ser diplomada e empossada. Caso contrário, o futuro presidente da Câmara Municipal, a ser eleito no primeiro dia de 2013, assumirá a prefeitura.

O impasse jurídico-eleitoral surgiu quando a Justiça Eleitoral negou registro de candidatura a Manoel Cândido (PT) por não ter prestado contas da campanha de 2010, quando concorreu sem sucesso a uma vaga na Assembleia Legislativa. Nas eleições para prefeito de Serra do Mel ele foi o eleito pelo voto, mas como teve a votação anulada, Irmã Lúcia como a segunda mais votada foi declarada eleita. (Com informações e foto/reprodução do blog do Aldo Araújo).

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *