Governador vai a Colômbia conhecer plano de segurança pública que é referência em todo o mundo

Robinson vai conhecer políticas de segurança implementadas pelo governo colombiano (Foto: Reprodução)
O governador Robinson Faria (PSD) chega nesta quarta-feira, 24,
a Colômbia para conhecer um plano de segurança pública que diminuiu o número de
homicídios e a violência em geral no país. Juntamente com o governador,
embarcaram também o secretário de Justiça, Cristiano Feitosa, o Procurador Geral
do Estado, Francisco Wilkie, o secretário-adjunto da Secretaria de Segurança,
Caio Bezerra, e o Procurador Geral de Justiça, Rinaldo Reis.
A agenda oficial começa na cidade de Bogotá, capital do país, e
segue até a próxima semana. A viagem ainda inclui uma visita à cidade de
Medellín, segunda maior cidade da Colômbia. “Recebemos o convite do Governo da
Colômbia para conhecer de perto os projetos na área de segurança que conseguiram
diminuir, de forma gradativa mas muito fortemente, a criminalidade no país”,
explicou o governador Robinson Faria.
As políticas de segurança implementadas pelo governo colombiano
e as prefeituras de Bogotá e Medellín a partir de meados da década de 1990
transformaram a realidade destes locais e hoje são referências em todo o mundo.
Além do reforço direto nas forças policiais, as políticas públicas de segurança
nas cidades colombianas incluem investimentos em educação, transporte, cultura e
infraestrutura urbana.
Por conta dos confrontos entre as forças de segurança oficial e
narcotraficantes, a taxa de homicídios em Bogotá no ano de 1993, por exemplo,
chegou a 80 mortes por cada 100 mil habitantes, segundo dados da ONU.  Após os
trabalhos realizados pelas prefeituras e o governo central, a taxa caiu para 16
homicídios – uma queda de 80% – por grupo de 100 mil pessoas em 2015, de acordo
com os números da prefeitura de Bogotá e do Ministério da Defesa colombiano. Em
Medellín a situação era semelhante. No início da década de 1990 a segunda maior
cidade da Colômbia chegou a ter 381 homicídios por 100 mil habitantes e agora
aponta para uma taxa mais de 90% menor do que há 20 anos, com aproximadamente 28
mortes violentas por grupo populacional.
Pelo trabalho nas duas décadas recentes, Bogotá foi incluída
dentro do Comitê Diretor da Rede Global de Cidades Seguras. Promovido pela
Organização das Nações Unidas (ONU), o comitê é responsável pela criação de
planos de ações globais para segurança nas cidades.
Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *