Governador de Nova York renuncia ao cargo após denúncias de assédio

Governador de Nova York, Andrew Cuomo (Foto: Mike Segar)

O governador de Nova York, Andrew Cuomo, anunciou, na tarde desta terça-feira, 10, sua renúncia ao cargo. A decisão vem após uma investigação da promotoria do estado de Nova York acusá-lo de ter assediado sexualmente diversas mulheres.

Com isso, a vice-governadora do estado, Kathy Hochul, assumirá o cargo. O governador informou que sua renúncia entrará em vigor em 14 dias.

Há uma semana, a procuradoria-geral de Nova York divulgou informações sobre uma investigação cujo relatório final apontou que o governador democrata assediou sexualmente atuais e ex-funcionárias do estado, bem como várias mulheres fora do governo estadual.

O número de vítimas inicialmente informado pela investigação foi de 11 mulheres.

Em coletiva de imprensa feita para anunciar seu afastamento, Cuomo negou as acusações feitas pela procuradoria, mas pediu desculpas a mulheres que “ofendeu”.

“Isso não é para dizer que não existem 11 mulheres que eu realmente ofendi. Existem. E, por isso, eu peço sinceras desculpas. Eu pensei que um abraço e colocar meu braço ao redor de uma pessoa da equipe eram gestos amigáveis, mas ela sentiu que eu fui longe demais. Eu beijei uma mulher na bochecha em um casamento e pensei que fosse amigável, mas ela sentiu que foi agressivo demais”, afirmou.

“Eu escorreguei e chamei pessoas de ‘querida’, e quis ser carinhoso, mas mulheres acharam isso ofensivo. Eu assumo totalmente as responsabilidades pelas minhas ações”, declarou.

Cuomo ainda acrescentou que possui um “senso de humor” que pode ser mal interpretado pelas pessoas, e que tem feito isso ao longo de toda sua vida. “Na minha mente, eu nunca cruzei os limites com ningeém, mas não percebi a extensão da linha que havia sido redesenhada”, alegou.

Histórico

A investigação, detalhada em um relatório de 168 páginas, concluiu que Cuomo apalpou, beijou ou fez comentários sugestivos para mulheres, incluindo atuais e ex-funcionários do governo –uma delas policial estadual– e retaliou pelo menos uma mulher que o acusou de má conduta sexual. Cuomo nega qualquer irregularidade.

A vice-governadora Kathy Hochul, uma democrata do oeste de Nova York, assumirá como governadora do estado de mais de 19 milhões de pessoas até o final do mandato de Cuomo em dezembro de 2022, conforme definido na Constituição estadual, tornando-se a primeira mulher a ocupar o cargo.

A renúncia de Cuomo marca a segunda vez em 13 anos que um governador de Nova York renuncia após um escândalo – em 2008 foi Eliot Spitzer que deixou o cargo por envolvimento com prostitutas.

Cuomo também se tornou o mais recente homem poderoso derrubado após a ascensão do movimento social #MeToo contra o abuso e assédio sexual que abalou a política, Hollywood, o mundo dos negócios e os locais de trabalho.

Sua renúncia poupou Cuomo de uma possível destituição do cargo por meio de um processo de impeachment na Assembleia estadual. Uma investigação de impeachment em andamento apenas prometeu se intensificar.

Com informações da Reuters e CNN

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *