Família não acredita em assassinato e diz que vítima já havia tentado o suicídio

Familiares do vigilante Raimundo Nonato de Brito, 42 anos, que praticou suicídio na madrugada desta quinta-feira, 18, utilizando um pedaço de corda fina amarrado a uma camisa, a princípio descartam os rumores de que teria sido assassinado. Para um irmão da vítima a hipótese é pouco provável, considerando que não fora constatado nenhum sinal de violência no mesmo. Nesta manhã o corpo se encontrava no Instituto Técnico e Científico de Polícia (ITEP) em Mossoró, para ser periciado.

Raimundo Nonato, o suicida (foto extraída do blog http://www.portalcostabranca.blogspot.com)

Ao Blog, Paulo César de Brito, que é funcionário da Prefeitura de Areia Branca, lotado na Gerência Executiva de Eventos, disse que anterior ao sinistro o irmão já havia tentado tirar a própria vida duas vezes. O mesmo tinha problemas com o alcoolismo. “Mas tinha uma vida normal, trabalhava e cumpria com suas obrigações de dono de casa”, ressalta.

Raimundo Nonato era separado da esposa, mas vivia maritalmente com outra companheira e tinha três filhos. Atualmente era vigilante na Casa do Ancião Rita Fernandes de Souza. “Ontem à noite ele estava alcoolizado, conversou com uma irmã nossa até aproximadamente às 4h da madrugada. Acredito que tenha saído de lá para praticar o suicídio”, diz o irmão Paulo César.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *