Fala, Memória: Lucas Araújo Duarte, um sorriso, uma vida…

Lucas, vítima de acidente automobilístico em 4 de junho de 2010

Ontem, 4, completou um ano que Lucas Araújo Duarte, 20 anos, morreu quando a moto conduzida por ele se chocou violentamente com um veículo tipo Jipe, na zona urbana de Areia Branca. Lucas vinha da praia. Sua mãe, Jane Araújo, escreveu esta homenagem pela passagem do primeiro ano de saudade do filho, que segundo ela, “é muito vivo dentro de mim e sempre será”. Leia.

Segundo filho de Jane Maria Miranda Araújo e José Ribamar Duarte Filho, Lucas nasceu como um sonho e viveu como uma realidade. Ao nascer, em 6/12/1987 na cidade de Mossoró-RN, com os cabelinhos espetados, de pele rosada e olhos apertadinhos, mostrava, desde já, a pessoa especial que seria um dia.

Era alguém que, desde criança, amava as pessoas indistintamente e incondicionalmente, como também amava e defendia a natureza. Tinha o esporte como algo essencial para o seu corpo, e a arte como uma parte de sua alma. Era um artista nato. Começou a desenhar por volta dos três anos de idade. Colava páginas e mais páginas de papel ofício e fazia seus painéis imensos, desenhando os heróis e personagens das animações da época. Bastante criativo e sempre aperfeiçoando sua técnica, passou a usar o computador para desenhar. Gostava, especialmente, de criar logomarcas. Em janeiro de 2010 ele ganhou a concorrência e criou um portifólio para um posto de gasolina no Maranhão. Foram noites e mais noites de trabalho, ao som dos álbuns “Animals” e “Wish You Were Here” da banda Pink Floyd, resultando, devido ao seu perfeccionismo, em um excelente trabalho profissional. Estavam abertas as portas para a sua vida profissional e ele, então, descobriu que queria estudar e cursar a Universidade de Publicidade e Propaganda em Fortaleza-CE. Era o seu despertar para o mundo!

Amante do esporte, começando desde pequeno a praticá-los, treinou diversos tipos, tais como Basquete, Skate, Tae Kown Do, Surf e Jiu-Jitsu, sendo este último, o seu preferido.

Dono de uma personalidade forte, Lucas, como todo jovem, teve seus erros e seus acertos. Gostava de namorar, de sair para as baladas, de brincar com amigos, mas tinha uma particularidade: era intenso, muito intenso! Gostava de sentir a adrenalina correr em suas veias. Tinha uma pressa urgente de viver tudo que lhe era oferecido.

Era uma pessoa altruísta, de alma leve e de grande desapego das coisas materiais. Alegre, despreocupado, destemido, irreverente e sempre sorrindo, era feliz, gostava de sê-lo e não precisava de muito para ter a felicidade como sua fiel companheira.

Viveu para amar a vida intensamente e se fazer amado, mas seu tempo aqui na Terra era breve.

Às 7h10 do dia 4 de junho de 2010 parou um coração.

Deus, na sua infinita bondade, olhou para Lucas, e disse: “Filho, venha ser meu! Você é bom demais para viver na Terra! Preciso do seu sorriso, aqui, para alegrar mais ainda o Reino dos Céus”. E ele se foi…

Um ano após sua partida, a vida tem para Lucas outra dimensão. Alcançou o definitivo! Agora já sabe quem e como Deus é! Tornou-se eterno!

Fica em paz, Lucas Araújo Duarte!

Você agora é uma estrela, a nossa estrela! Seja, portanto, a estrela que mais brilha no firmamento. Ilumine e distribua sua luz aos que te cercaram e aqui ficaram saudosos com a sua partida. Seja a nossa estrela guia, a nossa estrela da sorte! Seja feliz por ser estrela, meu filho, pois as estrelas estão sempre no alto, soberanas por estarem sempre a guiar os navegantes.

Amo-te enquanto alma, enquanto espírito! Amo-te para todo o sempre!

Jane Araújo, sua “Mãnhê”

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *