Estudos e análises técnicas apontam o setor mineral como principal fator para viabilizar a instalação do Terminal de Porto do Mangue

2minerio_ferro  ok

Minérios extraídos no Estado vão alavancar o novo porto potiguar (Foto: www.otempo.com.br)

O potencial mineral do Rio Grande do Norte, responsável por mais de R$ 1 bilhão em investimentos nos últimos três anos, será fator determinante para construção do primeiro porto privado do Estado, via concessão. De acordo com o Governo do Estado, por meio da Secretaria do Desenvolvimento Econômico (Sedec), os estudos e análises técnicas apontaram a perspectiva de crescimento do setor como o principal fator para viabilizar a instalação do equipamento na cidade de Porto do Mangue.

Durante reunião na última sexta-feira, 31, em Porto do Mangue, o secretário do Desenvolvimento Econômico, Silvio Torquato, representando a governadora Rosalba Ciarlini (DEM), destacou a importância do porto para a logística do Estado e o fortalecimento do setor produtivo local. “O Rio Grande do Norte é hoje foco de atração de investimento em diversos setores da economia. A construção do porto privado garantirá ao setor produtivo um equipamento com capacidade para atender o escoamento da produção tanto do setor mineral como de diversas atividades industriais, além de ser mais um empreendimento para melhorar a infraestrutura logística do RN”, afirmou.

No encontro, que reuniu o prefeito de Porto do Mangue, Francisco Gomes da Silva, “Titico” (PMDB), vereadores e lideranças políticas do município e da região, além do presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Alves (PMDB), e equipe técnica da Federação das Indústrias do RN (Fiern), foi assinado um novo termo de cooperação entre o município e a Fiern para elaboração do projeto de construção do Terminal Portuário.

Em dezembro, o Governo do Estado e a Prefeitura de Porto do Mangue já tinham assinado um termo de cooperação que trata do apoio técnico do Governo para o projeto e análise da necessidade de obras estruturantes. A expectativa do município é que o lançamento do edital ocorra nos próximos meses e a previsão para início de funcionamento seja entre cinco e seis anos. Análises trabalham com a estimativa que o porto movimente com minérios 2,5 milhões de toneladas/ano.

Operação                                                Cidade de Porto do Mangue se beneficiária com a instalação do porto

A operação do novo porto será feita na modalidade transshipment, onde a carga é transferida diretamente de uma embarcação aquaviária para outra, sem passar por terra. A carga é transportada pela malha rodoviária até a zona portuária, descarregada e empilhada para, em seguida, ser transportada via barcaça até o atracadouro offshore para o navio graneleiro que fará o transporte final da carga.

Esse tipo de modalidade de operação viabiliza o carregamento de navios de grande porte mesmo onde a costa é rasa, além de reduzir o custo de investimento em instalação portuária. (Com informações Assecom-RN).

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *