Edição especial da revista Acontece destaca trajetória do visionário Pedro do Atum

Pedro do Atum, um dos maiores empreendedores do setor pesqueiro do Estado

Para comemorar seus 10 anos de existência e resistência (que o diga a competente diretora e editora Neide Carlos) a revista Acontece lançou edição especial reunindo boas reportagens contando a trajetória de empresários que tiveram que ralar muito para alcançar o sucesso.

Um dos destaques da edição comemorativa da Acontece é o empresário Pedro Gilson Dias de Araújo, “Pedro do Atum”, que saiu do Rio de Janeiro para se estabelecer em Areia Branca e fazer da cidade uma referência na produção do atum.

O site reproduz a reportagem de Pedro do Atum na revista Acontece. Confira.

O Rio Grande do Norte ocupa hoje uma posição de destaque na pesca e comercialização de atum, graças ao trabalho incansável de Pedro Gilson Dias de Araújo, “Pedro do Atum”, um dos maiores empreendedores do setor pesqueiro do Estado, a partir de sua chegada à cidade de Areia Branca, no litoral da Costa Branca.

Nascido no morro de Santa Marta, no Rio de Janeiro (RJ), o hoje proprietário de barcos de pesca e armador, atuando nesse segmento há 27 anos, lembra que antes de ter chegado à condição de empresário bem-sucedido, Pedro do Atum foi engraxate, vendedor de limão em feira, taxista, proprietário de casa de câmbio, trabalhou em uma produtora de cinema, documentários, comerciais para TV, entre os quais destaca o filme “Os Trapalhões na Serra Pelada”, entre tantas outras atividades até ingressar na pesca, inicialmente com espécies diversificadas, depois exclusivamente o atum.

“A pesca veio por acaso. Um pescador conhecido me pediu para comprar um pequeno barco de pesca, mostrando esse lado da pesca e resolvemos investir juntos. Eu tinha aquilo como diversão, achava bacana ver os pescadores chegando com toda aquela movimentação. Naquele período, percebi que os compradores de peixe tinham uma relação muito hostil com os pescadores e decidi que poderia mudar isso. Então, decidi morar em Cabo Frio (RJ), para viver na praia tomando água de coco e ganhando dinheiro com peixe”, brinca.

Depois de estudos e pesquisa de campo realizadas através de parceria com biólogos renomados, descobriu que o Nordeste era a região que possui grande quantidade de atum e decidiu iniciar um novo projeto na região, inicialmente em Aracaju (SE), com apenas três barcos. Mas, após oito meses, essa primeira tentativa não deu certo. Dois anos após novo estudo, decidiu retomar a pesca no Nordeste, dessa vez em Natal, quando se instalou em 2011.

Após ter percorrido vários estados na costa nordestina, quando retornava para Natal, encontrou-se com o empresário Jorge Bastos, que possuía uma empresa de pesca chamada Salinas, em Areia Branca, e propôs uma parceria. Em 2013, Pedro do Atum se instalou em Areia Branca, onde está desde então.

Sua chegada à cidade fez com que a pesca do atum promovesse uma revolução na economia da cidade, que recentemente passou a ser conhecida como a Capital do Atum. Além de desenvolver a pesca desse tipo de pescado, ele foi um dos idealizadores do Festival do Atum, que passou a integrar o calendário estadual de eventos. “No início foi difícil, porque os armadores estavam desiludidos com a pesca da lagosta, e quando chega uma pessoa desconhecida na cidade propondo uma mudança, gera certa desconfiança. Mas, fomos trabalhando e desenvolvendo nossa atividade com sucesso. “Nós nos sentimos bem em ter conseguido mudar a realidade de vida de muita gente, graças à riqueza do atum e a nossa disposição em trabalhar para crescer cada vez mais”, diz.

Aspern passa a se desenvolver com eleição de Pedro do Atum

Embora tenha cerca de 10 anos de existência, a Associação dos Proprietários de Barcos de Pesca do Rio Grande do Norte (Aspern) só passou a ganhar notoriedade com a chegada de Pedro do Atum à presidência da entidade. Segundo ele, quando chegou à cidade, em 2013, a entidade estava praticamente fechada. Em 2014, ele convocou os representantes e decidiu reativar os trabalhos, que vêm dando bons resultados com muitas conquistas para o setor. “Começamos a ir até Brasília em 2014, 2015, quando começamos a manter contato com o então secretário de Pesca, que nos levou até o ministro do Meio Ambiente, que na época era Sarney Filho, que estava disposto a proibir a pesca de cardumes associados. Então, nós nos unimos a outras entidades e conseguimos uma audiência. No encontro, tivemos o apoio dos senadores José Agripino e Garibaldi Filho. Quando fui apresentado a eles, mostramos os dados e recebemos a informação de que haveria a regulamentação desse tipo de pescaria. E, partir daí, fomos trabalhando até conseguir as licenças no início deste ano”, destaca.

Outra conquista importante obtida com o trabalho de Pedro do Atum à frente da entidade foi o óleo subsidiado. “Todo mundo em Areia Branca só ouvia falar desse subsídio do óleo, antes da nossa entrada na Aspern, hoje 90% das embarcações são cadastradas e tem acesso a esse benefício. O Governo do Estado garante um desconto de 17% e o Governo Federal garante outro percentual com o acumulado do abastecimento feito. Isso é um fator importante já que 30% das despesas de barco de pesca é com combustível”, acrescenta.

Além de conquistar as licenças, Pedro do Atum também é um dos idealizadores do Festival do Atum. A ideia original desse projeto surgiu em 2013, com a realização da Festa do Atum, e, desde então, o evento vem crescendo e ganhando projeção, até ter se tornado um dos maiores eventos gastronômicos do estado. “Trouxemos uma comitiva de Brasília para mostrar que a pesca exige regras e que nós cumprimos essas regras. Hoje, temos reconhecimento mundial e licença para pescar”, destaca.

Ele conta que a luta agora é para que o atum comece a ser exportado para países da Europa que hoje estão fechados, mas os Estados Unidos têm comprado o atum local pela qualidade apresentada, e que Areia Branca possa contar com uma indústria de beneficiamento de pescado, gerando emprego e renda na cidade, além de um cais público.

Trabalho social junto às famílias de pescadores

Além de promover o desenvolvimento econômico, não apenas em Areia Branca, mas em toda região, melhorando a qualidade de vida de muitos pescadores, a empresa Pescados Araújo desenvolve política de gerar emprego e renda, mas garantindo o respeito às características de cada região e de seu povo, sem agressão aos seus costumes e tradições.
“Assim que chegamos a uma cidade, procuramos uma entidade de assistência para apoiar o trabalho de nossa comunidade, promovendo ações que visam melhoria na qualidade de vida dessas pessoas. São três ou quatro projetos, entre os quais Lutando por Vidas, que oferece aulas de jiu-jítsu para crianças e adolescentes, além do trabalho de resgate da dignidade humana, fazendo que as pessoas se sintam importantes pelo seu trabalho e suas conquistas”, diz Pedro do Atum.

Ele destaca como um dos casos de resgate dessas pessoas o funcionário João Rafael, “Bila”, um dos primeiros jovens da cidade a ter recebido apoio para trabalhar e sair da ociosidade, perambulando pelo cais. “Um dia, ele me pediu um peixe; eu dei. No outro dia, ele veio pedir novamente, então eu disse: ‘Dou, mas você tem que trabalhar e ainda vai ganhar um dinheiro’. Se ele queria trabalhar para ter um peixe e ainda ganhar um dinheiro, ele aceitou e hoje virou um profissional de pesca com carteira assinada. Ele conseguiu resgatar o amor de uma filha que não via havia muito tempo, e assim como ele, tem muitos. Então, isso é muito gratificante”, afirma.

A empresa reúne cerca de 200 colaboradores, distribuídos em diversos estados brasileiros, de forma direta, e numerosos outros indiretamente e possui oito embarcações.

A edição especial dos 10 anos da revista Acontece foi lançada no restaurante de Donna Fátima, em Mossoró, com um café da manhã que celebrou também os 23 anos dos Laticínios Sertão Jucurutu. Na foto, Pedro do Atum, Neide Carlos (diretora e editora da revista) e o casal de empresários Otto Wagner e Jailde, que levaram a marca a alcançar o ranking de melhor queijo do Nordeste
Amigos, clientes e parceiros no café da manhã comemorativo da Acontece

Fotos: Reprodução/Revista Acontece

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo está protegido !!