Divulgada lista com nomes das vítimas de acidente com avião da empresa NOAR

Avião1-574x394 Destroços do avião num terreno baldio, em Recife

Dezesseis pessoas morreram na queda de um avião de pequeno porte no início da manhã desta quarta-feira, 13, na região de Boa Viagem, no Recife, em Pernambuco. Os 14 passageiros e dois tripulantes a bordo do bimotor morreram no acidente.

Segundo o Corpo de Bombeiros, o L-410 da Noar Linhas Áreas deixou o Aeroporto Internacional dos Guararapes por volta das 6h50. A aeronave faria a rota Recife, Mossoró, no Rio Grande do Norte, com escala em Natal.

O acidente aconteceu em um terreno baldio nas proximidades da praia de Boa Viagem, entre os bairros de Piedade e Boa Viagem. De acordo com a Aeronáutica, após a decolagem o piloto informou à torre de controle que estava com problemas e que faria um pouso forçado na praia de Boa Viagem. Na tentativa, o avião caiu e pegou fogo.

O coronel Luiz Gonzaga Dutra, gerente da Defesa Civil de Jaboatão dos Guararapes, disse em entrevista à rádio Estadão/ESPN que possivelmente o piloto da aeronave tentou pousar no mar. O coronel acredita que o piloto tentou passar neste trecho para seguir em direção ao mar.

O bimotor foi encontrado por volta das 7 horas e, cerca de 30 minutos depois, equipes dos bombeiros faziam o resfriamento da estrutura do avião. O trabalho durou cerca de 1 hora. Por volta das 10h, os corpos das vítimas ainda eram retirados dos destroços da aeronave. Equipes do Instituto Médico Legal (IML) permaneciam no local.

CARLA SUELI, RECEITA Professora Antônia Fernanda Jales, da UFRN (esquerda), e a Delegada da Receita Federal em Mossoró, Carla Sueli Barbosa Moreira (Direita) morreram no acidente. (Colaboração: Alcivan Costa/Gazeta do Oeste)

No final da manhã, a Noar emitiu um comunicado oficial sobre o acidente. Segundo a empresa, o avião estava em operação havia um ano. A companhia afirma também que as habilitações técnicas e os certificados de capacitação física dos pilotos estavam regulares. A Noar cancelou todos os voos desta quarta-feira. Os passageiros prejudicados com a suspensão dos voos serão remanejados para outras companhias aéreas.

A Aeronáutica disse que ‘iniciou as investigações para apurar os possíveis fatores que contribuíram para o acidente’. O laudo ainda não tem prazo para ser concluído.

No início da tarde, a empresa áerea divulgou os nomes das 16 vítimas do acidente.

Saiba mais sobre os 16 mortos na queda do voo 4896 da Noar:

– Piloto Rivaldo Paurílio Cardoso, 68 anos, brigadeiro reformado da
Aeronáutica, com 40 anos de voo, com experiência em voos comerciais e de grande porte;

– Co-piloto Roberto Gonçalves, 55 anos, piloto civil há 20 anos e tinha duas mil horas de voo. De acordo com o irmão da vítima, o também piloto Jairo Gonçalves, Roberto estava de folga hoje e foi trabalhar para substituir um amigo;

– Carla Suely Barbosa Moreira, delegada Receita federal de Mossoró;

– Antônia Fernanda Jalles, professora da UFRN;

– Ivanildo Santos Filho, funcionário da Faculdade Maurício de Nassau;

– Natã Braga, 39 anos, encarregado de manutenção da super Gás bras, deixa dois filhos gêmeos de um ano de idade e a esposa Ana Cláudia;

– André Freitas Pimenta Cordeiro, dono da Imperjet, filho do presidente do CDL do Ceará;

– Camila Marino, 28 anos, trabalhava na empresa Blackberry. Era casada sem filhos. Pais moram em São Paulo;

– Marcos Ely Soares de Araújo, 44 anos, diretor de Engenharia da Moura Dubeux. Ia para a cidade de Natal participar da entrega de um empreendimento. Trabalhava na empresa há 20 anos. Ingressou na construtora como estagiário. Deixa esposa e dois filhos;

– Bruno Frederico Ribeiro de Albuquerque, 41 anos, professor de odontologia. Seguiria para a cidade de Natal onde ministraria aulas em um curso de pós-graduação. Ele era professor da Associação Caruaruense de Ensino Superior (Asces)há mais de 10 anos nos Cursos de Odontologia e de Pós-graduação em Ortodontia, possuía graduação pela Faculdade de Odontologia de Pernambuco (UPE) e mestrado em Ortodontia na Universidade Camilo Castelo Branco, além de atuar em outras Instituições no Nordeste. Bruno nasceu em Jaboatão dos Guararapes, morava em Olinda. Deixa mulher e dois filhos;

– Raul Farias, professor de odontologia;

– Marcelo Campelo, da Marca Engenharia, viajava para o lançamento de uma obra em Natal. Era casado sem filhos;

– Maria da Conceição Oliveira, engenheira da Marca Engenharia;

– Débora Santos, deixa uma filha de quatro anos, era moradora de Boa Viagem. Trabalhava com processamento de dados;

– Johnsson Nascimento Pontes;

– Breno Faria

* Com informações da Internet

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *