Criminoso disparou mais de 60 tiros contra alunos e recarregou nove vezes a arma

ARNASPolícia expõe arsenal usado pelo criminoso, no Rio (Foto: Diana Brito/Folhapress)

A Polícia Civil informou nesta sexta-feira, 8, que o Wellington Menezes de Oliveira, 23, disparou mais de 60 tiros com um revólver calibre 38 contra os alunos da Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo (zona oeste do Rio). O crime ocorreu ontem, e 12 estudantes (dez meninas e dois meninos) foram mortos. O criminoso cometeu suicídio.

Segundo a polícia, durante o ataque, Oliveira recarregou nove vezes a arma. Ele também tinha um revólver calibre 32 preso à cintura.

Em entrevista coletiva, o delegado-titular da Delegacia de Homicídios, Felipe Ettore, disse hoje que foram encontradas 62 cápsulas calibre 38 na escola –todas da mesma arma. Segundo o delegado, Oliveira tinha seis “speedloaders”, instrumento usado para recarregar a arma com rapidez.

O revólver 32 que ficou preso à cintura foi usado poucas vezes, disse o delegado. Conforme registros da polícia, a arma havia sido roubada 15 anos atrás.

Já o revólver 38 estava com a numeração raspada. “A arma com numeração raspada vai ser rastreada, se possível, pela Delegacia de Repressão a Armas e Explosivos (Drae), que vai continuar essa investigação”, disse Ettore.

De acordo com o delegado, uma professora falou que o atirador entrou dizendo que daria uma palestra e, em seguida, começou a atirar. “Ele apenas disse que ia dar uma palestra, sacou as armas e passou a efetuar os disparos de forma aleatória, não buscando, segundo relatos, nenhum alvo, uma pessoa específica, não distinguindo sequer o sexo, sacou as duas armas e passou a efetuar os disparos com as duas mãos”, afirmou Ettore.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *