Contabilidade dos carnavais passados comprova que o evento constitui um investimento com retorno garantido para a cidade

largo OKFaltava espaço no Largo da Folia para acomodar tanta gente 

Sai em 11 dias a decisão da Justiça sobre a realização, ou não, do Carnaval 2013 de Areia Branca. Foi o que ficou acertado durante audiência na manhã desta sexta-feira, 11, em Natal, em que a prefeita Luana Bruno (PMDB) apresentou ao Ministério Público que atua junto ao Tribunal de Contas do Estado (MPJTCE) as justificativas para o município realizar a festa de Momo este ano.

Os procuradores do MPJTCE ouviram as explanações feitas pela prefeita (que estava acompanhada de assessores das áreas jurídica, econômica e administrativa, além de representante do segmento empresarial da cidade) e deram prazo até a sexta-feira, 18, para se pronunciarem sobre o assunto. Nesse espaço de tempo será feita uma consulta ao representante do MP em Areia Branca e a questão será analisada sob todos os aspectos.

De antemão, o MP deixa claro que caso seja autorizada a realização do Carnaval local, os custos devem ser reduzidos ao máximo. A Justiça não quer o comprometimento de verbas públicas para financiamento de eventos de cunho festivo nos 139 municípios potiguares onde foi decretada situação de emergência.

Como bem disse a prefeita Luana Bruno, uma carnavalesca assumida, o Carnaval de Areia Branca não constitui um mero evento com o intuito de celebrar a maior festa popular do Brasil. Aqui, os grandes carnavais realizados pela prefeitura nos últimos anos mostraram que o investimento feito pelo município tem retorno. Ou seja, é uma festa para gerar divisas econômicas para o município e não prejuízo para o erário.

A contabilidade dos carnavais areia-branquenses que aconteceram de verdade a partir da primeira gestão do ex-prefeito Bruno Filho (1997-2000) e tiveram continuidade com o ex-prefeito Manoel Cunha Neto, “Souza”, mostrou que o comércio varejista, os setores de hotelaria e imobiliário, entre outros, cresceram vertiginosamente na cidade. As pessoas comuns também passaram a acreditar no evento como fonte geradora de ocupação e renda. E a paz reinava. Eram festas grandiosas, com índice zero de violência.

rei-e-rainhaA festa começa com a escolha do Rei Momo e da Rainha do Carnaval, na praia  

Os números dos carnavais de Areia Branca, no auge, ainda impressionam. Mais de 100 mil foliões circulavam pelas praias, ruas e Largo da Folia durante o período da festa que fazia circular mais de R$ 2 milhões na cidade, gerava em torno de 2,5 mil empregos temporários e ocupação para outras 500 pessoas que atuavam especificamente como seguranças. E mais: entre 300 a 400 casas chegaram a ser alugadas na zona urbana e no litoral somente durante uma temporada carnavalesca.

Pegando “carona” no crescimento dos carnavais locais, houve o surgimento de incontáveis opções gastronômicas e de entretenimento e lazer. Uma verdadeira proliferação de hotel, pousadas, bares e restaurantes na cidade e no litoral no decorrer da efervescência do evento.

Durante os grandes carnavais locais, acomodação para os foliões vindos de outras cidades não era problema. Além dos imóveis disponíveis para aluguel, existiam muitas opções.

Onde ficar? Relembre:

Hotel Costa Atlântico – Praia de Upanema

Pousada Bom Jesus – Centro

Pousada Porto do Sal – Centro

Pousada São José – Centro

Pousada Visão – Conjunto IPE

Pousada O Osmar – Bairro Somoban/BR-110

Pousada Tombo do Mar – Praia de Upanema

Pousada do Divaldo – Praia de Upanema

Pousada Brisa do Mar – Praia de Upanema

Pousada Baixa Grande – Praia de Baixa Grande

Edilsu´s Pousada – Praia de Baixa Grande

Balneário Solemar – Praia de Baixa Grande

Pousada Morro Pintado – Praia de Morro Pintado

Pousada Costa Branca – Ponta do Mel

Beiral Pousada – Ponta do Mel

Pousada Teodoro – Ponta do Mel

arrastão . 5“Arrastão” é o diferencial do Carnaval de Areia Branca

Onde comer? Eram muitas opções. Relembre algumas:

Hotel Costa Atlântico – Praia de Upanema

Restaurante O Paladar – Centro

Frango na Brasa – Centro

Citrus Lanche – Mercado Público / Centro

Ponto Feito – Mercado Público / Centro

Pizzaria Pic-Nic – Centro

Pizzaria Night Point – Centro

Stop Lanch – Centro

Massas Dourado – Centro

Restaurante Sabor da Carne – Centro

Bel Lanche – Bairro São João

Churrascaria O Osmar – Somoban / BR-110

Churrascaria O Fabrício – Somoban / BR-110

Restaurante O Meinha I – Praia de Upanema

Restaurante O Meinha II – BR-110

Lanchonete / Restaurante Altas Horas – Centro

Ponto do Lanche – Centro

Sorveteria e Lanchonete Doce Tensão – Centro

Lanche Santista – Centro

Bar e Restaurante Sabor da Terra – Centro

Pizzaria e Cervejaria Brasil – Centro

· Por Luciano Oliveira, Editor

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *