Consórcio de empresas projeta construir uma “Disney” no RN ainda este ano, orçada em cerca de R$ 7,7 bilhões

PARQUEO projeto, batizado Enerland – The Power of Fun (Terra da Energia – O Poder da Diversão), prevê a instalação de parques eólicos e hotéis (Foto: Divulgação)

O consórcio formado por empresas espanholas, alemãs, árabes e brasileiras, representado pela espanhola Alondra, confirmou ontem, 11, que pretende dar entrada nas licenças ambientais do primeiro parque temático de energias renováveis do mundo – projetado para o Rio Grande do Norte – ainda este ano. O projeto executivo deve ser finalizado até dezembro. O local – que segundo divulgou a Folha de São Paulo seria a cidade de Touros – ainda não foi escolhido. Três terrenos estariam no radar do consórcio.

As áreas já estão sendo mapeadas para facilitar a escolha, mas as localizações não foram divulgadas “para evitar especulação”.  A informação foi repassada à TRIBUNA DO NORTE pelo CEO (espécie de diretor executivo) no Brasil do parque Enerland – como foi batizado o projeto – Rodrigo Silva. Ele se reunirá com o governo do estado na próxima semana.

O projeto, que começou a ser elaborado há quatro anos e já foi apresentado ao governo do estado (na semana passada), ao Ministério do Turismo, ao da Integração e ao de Minas e Energia, está orçado em 3 bilhões de euros (cerca de 7,7 bilhões de reais). Ele contempla cinco parques temáticos, um centro comercial, 15 montanhas russas e sete resorts com capacidade para 35 mil pessoas. O complexo também funcionará como laboratório para novas tecnologias em energias renováveis.

O consórcio espera inaugurar a primeira parte do empreendimento – o equivalente a 40% do projeto – antes da Copa de 2014. Setenta por cento do projeto deve ser concluído até as Olimpíadas de 2016. Segundo previsão do consórcio, o empreendimento estará pronto em 2019, quando poderá receber até 12 milhões de pessoas por ano, mais do que o dobro do que o Brasil recebe (cerca de 5 milhões). Os estrangeiros serão o público alvo.

O parque – que seguirá os moldes da Disney e também terá atrações norte-americanas e espanholas – será autossustentável. “Será uma cidade inteligente totalmente controlada por sistemas automatizados e sustentável no que se refere a água, ar, solo e energia, sendo esta última 100% produzida através de energias renováveis instaladas no próprio parque: energia eólica, solar, biomassa, biogás, hidráulica, geotérmica, térmica, entre outras”, esclareceu por e-mail o diretor geral da Alondra, Manuel Rojas Saume. (Com informações de Andrielle Mendes – Repórter / Tribuna do Norte).

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *