Cidades abastecidas pela adutora Sertão Central Cabugi serão atendidas por meio de rodízio

Sistema adutor atende oito cidades e comunidades rurais (Foto: Divulgação/Caern)
A partir da terça-feira, 12, as oito cidades abastecidas com
água pelo sistema adutor Sertão Central Cabugi serão atendidas através de
rodízio. A Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) constatou
que esta é a melhor forma de contribuir para que o produto tenha pressão
suficiente na rede a fim de beneficiar as localidades mais distantes como
Riachuelo e atingir também as partes mais altas dessas cidades. O rodízio será
feito, de forma experimental, com a suspensão do abastecimento durante dois
dias, das 6h da terça-feira até 6h da manhã da quinta-feira, 14, para Angicos,
Fernando Pedroza e Pedro Avelino, enquanto o fornecimento acontecerá normalmente
para as cidades de Lajes, Caiçara do Rio dos Ventos, Riachuelo, Pedra Preta,
Jardim de Angicos além do distrito Cachoeira do Sapo e comunidades
rurais.
sistema adutor Sertão Central Cabugi tem 204,2 quilômetros de
extensão que começa com a captação de água da barragem Armando Ribeiro
Gonçalves,  através do canal do Pataxó que mede oito quilômetros, em Itajá. Com
o rodízio, os técnicos pretendem economizar durante dois dias, 230 mil
litros/hora dos 500 mil bombeados desde a captação, para distribuir entre as
demais (05) cidades e comunidades ao longo da adutora. Para que a água chegue ao
destino, a Caern utiliza Estações Elevatórias, começando em Itajá na Estação de
Bombeamento (EB-1) e transmite para EB2, em Angicos e em seguida à EB3 em Lajes,
no pico do Cabugi.

Parceria
O gerente regional, Ricardo Cesar Marinho, informou que a Caern
vem trabalhando em parceria com o Instituto de Gestão das Águas (Igarn), órgão
responsável pelo controle da distribuição da água, a fim de inibir o desperdício
na distribuição para irrigantes e usuários que utilizam o produto sem controle.
Marinho considera as ligações de água feitas ao longo do canal do Pataxó, para
irrigantes, como um dos principais motivos da necessidade do rodízio. Além
disso, a partir desta sexta-feira, 8, funcionários da Caern fiscalizarão a rede
24h por dia, de forma a garantir as determinações relativas ao rodízio.
Para Ricardo, as medidas adotadas pela Caern e Igarn,
associadas ao uso racional da água pelos consumidores, podem minimizar os
problemas de interrupção no fornecimento do produto quando o Rio Grande do Norte
atravessa o maior período de seca dos últimos 100 anos. (Com
informações
ACS Caern).    
   
Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *