Campus Apodi do IFRN arrecada doações para famílias atingidas pela tragédia de Mariana (MG)

<SAMSUNG DIGITAL CAMERA>Doações estão sendo entregues no próprio Campus pela manhã e à tarde (Foto: Reprodução) 

Sensibilizado com a tragédia ocorrida no município de Mariana, interior de Minas Gerais, o Campus Apodi do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFRN) está realizando uma campanha de arrecadação de mantimentos em solidariedade às famílias desabrigadas na cidade mineira e região. A campanha vai até o dia 5 de dezembro. 

As doações arrecadações serão enviadas para Natal e de lá seguirão para a região afetada. Os organizadores do movimento estão conclamando a comunidade apodiense e as cidades do entorno a participarem da campanha.

De acordo com a comissão, as doações serão recebidas no Campus Apodi, nos seguintes horários: pela manhã, das 7h às 11h e à tarde, das 13h às 17h. Podem ser doados alimentos não perecíveis, água mineral, produtos de limpeza, itens de higiene pessoal e ração para animais domésticos.

Na tarde do dia 5 de novembro, duas barragens de rejeitos de uma mineradora se romperam, causando uma enxurrada de lama com resíduos, atingindo o distrito de Bento Rodrigues, em Mariana, na Região Central de Minas Gerais. Várias famílias estão desabrigadas e o abastecimento de água está interrompido, devido a lama também ter atingindo o Rio Doce, fonte importante de abastecimento para várias cidades, entre elas Governador Valadares, que foi decretado em estado de calamidade pública pela prefeitura.

000Continuam chegando doações de todas as partes do país para as famílias desabrigadas (Foto: Reprodução)

As proporções da tragédia de Mariana, considerado o maior desastre ambiental do país, sensibilizaram os estudantes apodienses. Os detritos das barragens atingiram seis localidades de Mariana, além de Bento Rodrigues. Segundo especialistas, a lama que desce pelo rio Doce atingirá, no total, uma área de cerca de 10 mil quilômetros quadrados no litoral capixaba (Espírito Santo), área equivalente a mais de seis vezes o tamanho da cidade de São Paulo. Os prejuízos são incalculáveis.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *