Campanha nacional de vacinação contra a gripe começa em Areia Branca

Primeiro grupo (crianças, gestantes e puérperas) estão aptos a receberem a vacina até o dia 19 de abril

Começou nesta quarta-feira, 10, em todo o Brasil a campanha nacional de vacinação contra a gripe e, em Areia Branca, todas as unidades de saúde, incluindo o Centro de Saúde José Nogueira, estão realizando a vacinação, que se prolonga até o dia 31 de maio. Os alvos da campanha são divididos em dois grupos: crianças de seis meses a seis anos incompletos, gestantes e mulheres com 45 dias após o parto (puérperas). Os outros são os grupos prioritários, que envolvem idosos, portadores de doenças crônicas não transmissíveis, população de origem indígena e servidores da saúde e da educação, com cada agrupamento desses tendo a divisão em datas separadas durante a campanha. A vacina não possui nenhuma contraindicação.

De acordo com a coordenadora da campanha na cidade, Lorena Ribeiro, “este ano temos algumas novidades como a faixa etária das crianças que foi ampliada de cinco para seis anos, além da separação por datas para melhorar a questão de fluxo dos habitantes”. Ainda segundo a enfermeira Lorena Ribeiro, é importante a participação da população para receber as vacinas. Se, por acaso, algum indivíduo pertencente ao grupo prioritário perder o prazo que era destinado para si, ainda está elegível a receber a medicação. “A pessoa pode ir outro dia e tomar a vacina até o dia 31 de maio”, ressaltou. Existem também as buscas ativas, onde agentes de saúde realizam visitas domiciliares a fim levar as vacinas para pessoas que não foram tomar em nenhuma unidade de saúde.

O primeiro grupo (crianças, gestantes e puérperas) estão aptos a receberem a vacina entre os dias 10 e 19 de abril, enquanto o segundo grupo (grupos prioritários) podem comparecer as unidades de saúde entre os dias 22 de abril a 31 de maio, ambos munidos de cartão de vacinação. O dia de conscientização sobre a vacina, o chamado “dia D”, acontecerá em 4 de maio. Após o encerramento da campanha, o resto da população que não está dentro do recorte da ação pode também tomar a vacina.

Para Lorena Ribeiro, é crucial a compreensão e colaboração com a campanha. “Precisamos ter o bom senso como cidadão e respeitar o grupo prioritário, se esses existem é porque são mais suscetíveis a adoecer”, enfatizou a coordenadora.

Fotos: Assessoria de Comunicação PMAB

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *