Câmara Municipal de Areia Branca voltará a realizar sessões nas comunidades rurais a partir do mês de agosto

SANDRO GÓIS ANUNCIA RETOMADA DE SESSÕES NA ZONA RURALSandro Góis diz que sessões na zona rural aproximam o povo do Legislativo

A aproximação do vereador das comunidades é fundamental para o exercício do mandato, haja vista que o povo que escolheu o seu representante no Poder Legislativo tem a oportunidade de acompanhar o seu trabalho e o que está sendo reivindicado em favor de quem o elegeu. É com esse pensamento que o presidente da Câmara Municipal de Areia Branca, Sandro Góis (PV) pretende retomar a partir do segundo semestre legislativo o programa de interiorização das reuniões ordinárias da Casa.

Segundo anunciou na segunda-feira, 1º, o vereador Sandro Góis, as sessões itinerantes na zona rural do município deverão ser retomadas já a partir do mês de agosto, quando os vereadores retornam do recesso parlamentar. A novidade será o aumento do número de comunidades que irão sediar as sessões itinerantes, com a Câmara levando os trabalhos a outras localidades, além daquelas que já recebiam os vereadores periodicamente.

De acordo com Sandro Góis, no calendário ordinário do segundo semestre legislativo, que será divulgado em agosto, deve constar os dias e as localidades onde serão realizadas as sessões itinerantes. “Essa é uma iniciativa importante para debatermos os problemas apontados pelos comunitários, ouvir propostas,  sugestões e aproximar o povo do Poder Legislativo municipal, para que conheçam melhor o verdadeiro papel do seu representante na Casa”, justifica o presidente.

O programa de descentralização das sessões legislativas foi instituído na década de 90. Houve interrupção em gestões anteriores e agora está sendo retomado pelo vereador Sandro Góis. Já tendo participado do programa na legislatura passada, o dirigente da atual mesa diretora da Câmara afirma que a presença dos vereadores nas comunidades cria um vínculo de aproximação entre o povo e o Legislativo, fazendo com que as discussões em plenário sejam enriquecidas com os subsídios fornecidos pelos comunitários, embora não participem ativamente dos debates da Casa.

O presidente explica, ainda, que a instalação da Câmara Municipal nas comunidades, também atende aos anseios dos moradores, haja vista estarem distantes do foco dos acontecimentos, sendo que muitas vezes sequer tomam conhecimento de benefícios pleiteados pelos vereadores em seu favor e da localidade em que vivem. “Os vereadores indo à zona rural interagem melhor com as pessoas, falam diretamente para elas. É uma maneira de estreitar relações”, conclui Sandro Góis.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *