Câmara aprova projeto que trata do manejo de objetos e materiais altamente tóxicos

chico lopes ok“Chico Lopes” diz que todos devem dar sua contribuição para a preservação do meio ambiente

Na semana em que se comemora o 5 de junho, Dia Mundial do Meio Ambiente, a Câmara Municipal de Areia Branca aprovou um projeto de Lei que trata do manejo ecologicamente correto de objetos e materiais altamente tóxicos que fazem parte do cotidiano das pessoas, como se não apresentassem nenhum risco à saúde humana e ao meio ambiente.

O projeto é de autoria do vereador Francisco Lopes da Silva, “Chico Lopes” (PTB), e foi aprovado à unanimidade na sessão ordinária na quinta-feira, 2, na retomada dos trabalhos na Casa. O projeto autoriza o Poder Executivo a instituir campanha para incentivar a coleta de pilhas, baterias de celulares, lâmpadas e outros tipos de materiais tóxicos no município.

A proposta é que o município faça uma ampla campanha de divulgação na cidade, alertando e orientando a população sobre o manejo correto desses materiais tóxicos.

Na justificativa da matéria, o vereador “Chico Lopes” diz que o objetivo da iniciativa é conscientizar a população sobre a coleta ecologicamente correta de pilhas, baterias de celulares, lâmpadas fluorescentes e outros tipos de materiais tóxicos, tendo como meta a preservação do meio ambiente.

Segundo “Chico Lopes”, todo acumulador de energia elétrica é feito com ligas de metais pesados, como o nióbio, mercúrio, chumbo e o cádmio, que são extremamente perigosos para a saúde humana. E também pelo nitrato de prata, cujo nome entre os próprios cientistas é “grafite da morte”. Dentre os males provocados pela contaminação com metais pesados está o câncer e mutações genéticas.

O vereador esclarece ainda, que as pilhas e baterias em funcionamento não oferecem riscos, uma vez que o perigo está contido no interior delas. “O problema é quando elas são descartadas e passam por deformações na cápsula que as envolvem, amassam, estouram e deixam vazar o líquido tóxico de seus interiores”, enfatiza “Chico Lopes”.

Ainda de acordo com as explicações de “Chico Lopes” referentes ao projeto, já existem legislações prevendo que os fabricantes recebam de volta pilhas e baterias e dessa forma dar a esse material o destino final adequado. “Mas falta uma preocupação maior por parte do Poder Municipal para incentivar e conscientizar a população sobre o mal que esses equipamentos depois de usados, podem causar à população. Partindo do princípio de que nem todas as pessoas têm acesso a essas informações, achamos que cabe ao Poder Público Municipal facilitar a informação correta para todas as pessoas”, acrescenta.

Concluindo, “Chico Lopes” diz que somente por meio de uma campanha permanente em todos os estabelecimentos comerciais, educacionais, entre outros, será possível despertar na população a consciência do seu papel e de sua contribuição para a preservação do meio ambiente. “A medida é necessária para impedir que esse tipo de lixo, que é nocivo ao meio ambiente, seja descartado junto ao lixo comum”, finaliza.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *