Brasil faz hat-trick em Tóquio: três medalhas de ouro no mesmo dia

Jogadores brasileiros no alto do pódio (Foto: Reuters)

Yokohama é verde e amarela novamente. Mas desta vez com detalhes dourados. Dezenove anos após faturar o pentacampeonato mundial, o Brasil voltou à cidade japonesa para conquistar o bicampeonato olímpico. E foi sofrido, como já tinha sido diante da Alemanha, cinco anos atrás, na final Rio-2016, mas desta vez sem a necessidade da disputa de penalidades.

Na vitória por 2 a 1 sobre a Espanha, o Brasil perdeu pênalti com Richarlison, conseguiu sair na frente do placar com Matheus Cunha, mas sofreu o empate de Oyarzabal e levou pressão no segundo tempo. Na prorrogação, porém, brilhou a estrela de Malcom, que deixou o banco para marcar o gol do título.

Esta foi a sétima medalha de ouro do Brasil nas Olimpíadas de Tóquio até o momento, a 19ª no total. Com a vitória deste sábado, 7, a seleção masculina de futebol entrou para o grupo de bicampeãs olímpicas, que conta também com Uruguai (1924 e 1928) e Argentina (em 2008 e 2012). O time canarinho é o que mais conquistou medalhas na modalidade na história dos Jogos: sete, sendo duas de ouro, três de prata e duas de bronze.

Isaquias brilha na canoagem

Além de um lugar seleto na histórica olímpica brasileira, Isaquias Queiroz vai capitalizar ainda mais com a medalha de ouro conquistada neste sábado na prova do C1 1000m na canoagem velocidade no Canal Sea Forest, às margens da baía de Tóquio. O baiano de 27 anos vai receber um bônus robusto pela façanha e uma licença estendida para se recuperar. Ou melhor, para se preparar para os Jogos de Paris, em 2024.

Isaquias Queiroz com a medalha de ouro no C1 1000m (Foto: André Durão/ge)

O canoísta vai levar R$ 80 mil apenas da CBCa (Confederação Brasileira de Canoagem). Também vai ganhar R$ 250 mil do COB (Comitê Olímpico do Brasil). Até mesmo o técnico da seleção nacional, Lauro de Souza Júnior, o Pinda, será agraciado: levará R$ 40 mil da confederação.

Em 2016, depois de subir ao pódio três vezes (duas pratas e um bronze) na Rio 2016, Isaquias faturou R$ 132 mil.

No boxe, Hebert Conceição nocauteia ucraniano e é campeão olímpico

O brasileiro Hebert Conceição conquistou, neste sábado, a medalha de ouro na categoria até 75kg do boxe. Ele venceu a decisão do ouro contra oucraniano Oleksandr Khyzniak, campeão mundial de 2017, por nocaute no terceiro assalto. O brasileiro perdeu os dois primeiros rounds, mas conseguiu derrubar o rival no terceiro para garantir o título.

Hebert Conceicção acerta o ucraniano na final do boxe (Foto: Wander Roberto/COB)

Na campanha, Hebert passou nas oitavas de final, derrotou o chinês Tuohetaerbieke Tanglatihan por 3 a 2, em decisão dividida dos árbitros. Nas quartas, enfrentou o cazaque Abilkhan Amankul, prata no Campeonato Mundial de 2017 e vice-campeão asiático, e passou por 3 a 2. Na semifinal, o adversário foi o russo Gleb Bakshi, campeão mundial de 2019, e novo triunfo verde-amarelo.

Com informações ge – Tóquio, Japão

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *