Bloco “A Soma Dá Mais de 300” sairá nesta segunda-feira com animação do Paredão do Bodim

Todos os anos “A Soma” leva multidão às ruas da cidade (Foto: Afrânio Mesquita/Arquivo)
Lá se vão 17 anos desde que o mais irreverente bloco
carnavalesco de Areia Branca saiu pela primeira vez levando às ruas muita
animação e a alegria contagiante dos seus poucos integrantes (eram cerca de 15,
20 pessoas), na época. Não demorou muito para o bloco conquistar uma legião de
foliões locais e de outras cidades e estados brasileiros que anualmente acorrem
a esta cidade para brincar um Carnaval diferente.
O bloco “A Soma Dá Mais de 300” é um exemplo de superação. Meio
a altos e baixos prevaleceu a máxima que o Carnaval quem faz é o povo. Por isso,
é a maior festa popular do Brasil.
Nesta segunda-feira, 8, “A Soma” estará nas ruas mais uma vez. A concentração será a partir das 16h, no Largo da Praça da Conceição. O bloco não tem abadá, cada um brinca do jeito que estiver ou quiser, a única
regra é abusar da criatividade.
Este ano o bloco correu sérios riscos de não sair, por falta de
alguns apoios que vinha recebendo nos anos anteriores. A “força” que faltava
para “A Soma” ir às ruas, hoje, veio do deputado estadual Manoel Cunha Neto,
“Souza” (PHS), que em parceria com o empresário Medeiros Mais e outros amigos
trouxe para animar o Carnaval 2016 de Areia Branca a grandiosa estrutura de som
automotivo, Paredão do Bodim, que arrasta multidão por onde passa.
A carreta de Bodim do Paredão puxou o primeiro grande
“arrastão” deste Carnaval ontem, 7, da praia de Upanema para o centro da cidade.
Nesta segunda-feira, o deputado Souza garante a estrutura sonora no bloco “A
Soma”, animando os milhares de foliões que são esperados nas tarde/noite de
hoje.
O Paredão do Bodim fará o “arrastão” desta terça-feira, 9, no
circuito praia-centro. Este é o segundo ano que a carreta vem a Areia Branca, já
que em 2015, também animou o Carnaval local por iniciativa do deputado Souza e
outros apoiadores.

Origem do nome
Concentração dos foliões no Largo da Praça da Conceição começa cedo (Foto: Jair Silva) 
A origem do nome “A Soma Dá Mais de 300” é, de fato, bem
interessante. Em 1999, Areia Branca vivia o auge dos barzinhos e próximo à Praça
da Conceição sempre existiram bons ambientes para o lazer.
A lojista Neide Melo, uma das fundadoras do bloco “A Soma”,
estava com outras amigas numa mesa na calçada de uma pizzaria, quando um jovem
bastante conhecido na cidade, de nome Jean Carlos (já falecido) que estava
sentado, bebericando numa outra mesa, próximo a elas, gritou de lá: “Somando aí,
dá mais de 300”. Ele se referia ao somatório das idades das ocupantes da mesa.
A brincadeira pegou, pois dias depois, com o advento do
Carnaval, Neide Melo, Jeane Araújo, Rejane Melo, Doralice Melo, entre outras
amigas, resolveram criar o bloco “A Soma Dá Mais de 300”, que no primeiro ano
saiu com uma média de 20 pessoas, tendo como fantasia camisetas onde cada uma
delas colocou a respectiva idade.
Pronto. Estava oficializada a criação do mais alegre e
divertido bloco carnavalesco da cidade e da região, que costuma levar às ruas
entre 8 mil e 10 mil pessoas. 
Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *