Areia Branca será beneficiada pelo Projeto de Inclusão Socioprodutiva de Catadores de Recicláveis do RN

01Secretária da Sethas, Julianne Faria, ressaltou a importância do projeto (Foto: Divulgação)

Areia Branca será um dos municípios beneficiados pelo Projeto de Inclusão Socioprodutiva de Catadores de Materiais Reutilizáveis e Recicláveis do Rio Grande do Norte, lançado na quinta-feira, 7, pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Trabalho, Habitação e Assistência Social (Sethas).

O projeto, fruto da parceria com o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), tem como objetivo promover a inclusão socioprodutiva de 2.600 catadores de materiais reutilizáveis e recicláveis e seus familiares atuantes nas ruas e nos lixões, assim como fomentar empreendimentos econômicos solidários, novos e existentes, nos 32 municípios selecionados. Isso, mediante um conjunto de ações focadas no acesso a políticas públicas, máquinas e equipamentos, assessoramento técnico e qualificação profissional.

“Esse lançamento é um marco histórico para o estado do Rio Grande do Norte, pois é um pontapé inicial para a política de resíduos sólidos, além de dar assistências aos catadores do estado. Nós devemos seguir em frente com esse projeto para alcançar o maior número de catadores”, ressaltou a secretária da Sethas, Julianne Faria.

Além de Areia Branca, serão beneficiados pelo projeto os seguintes municípios: Arez, Goianinha, Canguaretama, Santa Cruz, Jaçanã, Campo Redondo, São Paulo do Potengi, São Pedro, Barcelona, Caicó, Parelhas, Currais Novos, Luis Gomes, Portalegre, Pau dos Ferros, Apodi, Caraúbas, Felipe Guerra, Mossoró, Assu, Afonso Bezerra, Angicos, Guamaré, Ceará-Mirim, Touros, João Câmara, Natal, Parnamirim, Macaíba, São Gonçalo do Amarante, Extremoz.

Rotativa

0000Associação realiza a coleta, seleção e venda de materiais recicláveis em Areia Branca

Há 15 anos Areia Branca possui coleta seletiva, graças à política pública de preservação do meio ambiente consolidada em 1999, na gestão do então prefeito José Bruno Filho (PMDB). O programa implantado transformou os antigos carroceiros da cidade em coletores ambientais, com salários pagos pela prefeitura. A repercussão da iniciativa foi tamanha que serviu de modelo para outras cidades potiguares.

Com o sucesso da coleta seletiva implantada pela prefeitura, em 2004 surgiu a Associação Rotativa, entidade sem fins lucrativos que passou a realizar a coleta, seleção e venda de materiais recicláveis na cidade. Segundo estimativas, são mais de 15 toneladas de material reciclável recolhido, sendo que o lucro obtido com a venda dos recicláveis é revertido para a manutenção da associação e para os coletores ambientais.

000

Fotos/Rotativa: Carlos Júnior

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *