Após fusão, União Brasil mira 12 governos estaduais e deve costurar nome para presidente

Fusão deve ser aprovada pelo TSE em até três meses (Foto: Sandy Mendes/Congresso em Foco) 

Em oficialização conjunta nesta quarta-feira, 6, os integrantes do DEM e PSL consolidaram o partido União Brasil. A fusão das duas siglas terá impacto, principalmente, nas eleições para governo estadual. A nova legenda mira a candidatura de pelo menos 12 chefes estaduais.

A lista, até o momento, já conta com os filiados das legendas: ACM Neto, Bahia; Ronaldo Caiado, Goiás; Marcos Rocha, Rondônia; Mauro Mendes, Mato Grosso. Além de estarem de olho na filiação do atuais governadores Capitão Wagner (CE), Romeu Zema (MG), Renato Casagrande (ES) e nos demais Amazonino Mendes (AM), Geraldo Alckmin (SP).

Um dos impasses que travam as negociações da fusão desde seu início é a disputa interna pela liderança partidária nos estados. De acordo com ACM Neto, as mudanças partidárias só devem ocorrer quando o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovar a fusão.

No primeiro momento, os diretórios permanecerão iguais, com as duas lideranças de DEM e PSL. Os parlamentares acreditam que a fusão seja aprovada pelo TSE em até três meses.

“Até que a fusão seja autorizada pelo TSE, tudo continua como está nos estados. Portanto, não há nenhuma alteração imediata. Vamos dedicar tempo e bom senso para procurar o melhor caminho e a melhor saída de composição”, afirmou ACM Neto.

O novo partido ainda deve costurar um nome para lançar em 2022. Até o momento, são cotados três nomes para a presidência do próximo ano: o ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta; o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG); e o apresentador Datena. A discussão sobre apoio e terceira via também deverá ser oficializada após aprovação do TSE.

Questionado por uma possível desfiliação do presidente Pacheco, ACM Neto diz não ser uma opção. “Rodrigo nunca sugeriu uma saída do Democratas. Agora com o União, isso amplia o vínculo dele e de outras lideranças, além da agregação de forças”, disse.

Em cerimônia, os integrantes dos dois partido ressaltaram a importância de preservar o diálogo e fazer novas alianças. (Com informações Congresso em Foco).

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *