Programa “Terra Legal” chega a Areia Branca beneficiando o homem do campo

Prefeita Iraneide reafirmou sua luta pelos pequenos produtores

O Programa “Terra Legal” também chegou a Areia Branca beneficiando o homem do campo. No último domingo, 6, o Governo do Estado e a Prefeitura Municipal de Areia Branca fizeram a entrega de títulos aos agricultores do município.

Durante quinze dias do mês de julho, agrônomos do Idem estiveram no município fazendo a demarcação das áreas dos agricultores do município, que constitui o Cadastro Ambiental Rural (CAR).

Famílias de agricultores do município beneficiadas pelo programa

O cadastro é um registro eletrônico, obrigatório para todos os imóveis rurais, formando base de dados estratégica para o controle, monitoramento e combate ao desmatamento das florestas e demais formas de vegetação nativa do Brasil, bem como para planejamento ambiental e econômico dos imóveis rurais.

A partir deste cadastro, o agricultor terá garantido o direito por sua terra, podendo comprovar sua legalidade. Ainda, com este título, o agricultor terá acesso a programas como: garantia safra, Penai, PAA e outros que beneficiam à classe.

Prefeita entrega título a agricultor beneficiado

A prefeita Iraneide Rebouças (PSD) enfatizou a sua luta pelos pequenos produtores, na procura de organizar a agricultura local por meio da formação de cooperativas, facilitando a atividade de vendas dos grupos. Além disso, a prefeita anunciou aos agricultores que, após a reforma do mercado municipal, o pequeno produtor terá um espaço para fazer suas vendas. “Me coloco a disposição de todos os agricultores. Que possamos fazer um vínculo de amizade. Vamos fazer reuniões nas comunidades, para que possamos ficar por dentro das necessidades de cada um”, enfatizou.

Depoimentos

“Nossa terra agora está segura, nós temos a escritura. Nós agora teremos direito a comprar o milho a preço de custo. Ainda, nós vamos ter como comprovar que somos agricultores, com a carteirinha. Para nós tirarmos isso era um problema grande, que a gente pelejava, mas não conseguia. Agradeço a Iraneide por ter feito isso por todos nós”, enfatizou “Galeguinho”, agricultor da comunidade de Redonda.

Com o documento a agricultora terá acesso a vários benefícios relacionados ao campo

“Esse cadastro foi de suma importância para que se possa trabalhar a questão ambiental. a partir daqui, o agricultor pode planejar e trabalhar de forma mais adequada a sua plantação, sem que atinja o meio ambiente. O agricultor que não tenha entrado nessa lista de cadastro, ficará impossibilitado de realizar qualquer programa social que esteja ligado à agricultura”, salientou Alexandra, engenheira agrônoma que presta assistência técnica ao programa.

Os que ainda não fizeram a regularização de suas terras devem procurar a representação local do Instituto de Assistência Técnica e extensão Rural (Emater) para mais informações.

Fotos: Divulgação/PMAB

Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *