Baleia Azul: Polícia começa a desvendar rastros da quadrilha; conheça os 50 desafios do jogo demoníaco

Polícia Civil abre investigação para identificar origem do jogo que preocupa os pais (Foto: Reprodução)
Polícia Civil abre investigação para identificar origem do jogo que preocupa os pais (Foto: Reprodução)

Após instaurar inquérito para apurar o aliciamento de crianças e adolescentes para o jogo ‘Baleia Azul’ no Rio de Janeiro (RJ), a Polícia Civil começa a desvendar rastros da quadrilha que tenta convencer as vítimas a tirar a própria vida. Cruzamento de dados iniciado pela Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI) em redes sociais já permitiu à especializada obter indícios preliminares sobre os criminosos que estão por trás da rede de incentivo ao suicídio.

A delegada responsável, Fernanda Fernandes, mantém as informações sobre os suspeitos em sigilo para não atrapalhar as investigações. Mas ela já sabe que o primeiro contato dos aliciadores com as vítimas — a maioria delas tem de 12 a 14 anos — ocorre como um convite inocente para um jogo desafiador, por meio de redes sociais, sobretudo o Facebook. Ludibriados pela promessa de experimentar uma simples aventura virtual, os menores não sabem que estão sendo caçados por uma associação criminosa.

Segundo a delegada, uma vez capturado, o jovem é submetido ao perigo de uma profunda pressão psicológica. A vítima é coagida a cometer atos de automutilação, como desenhar uma baleia com objeto cortante no braço, entre outros desafios muito perigosos. A tarefa final, seria atentar contra a própria vida.

“Há relatos de que há uma coação para as vítimas não desistirem do jogo. Os relatos são de pressão psicológica mesmo, de que se a vítima não se matar, ela vai ser morta de qualquer jeito, ou então eles ameaçam parentes próximos. Enfim, há toda uma coação para convencer a vítima a entrar e não sair”, explica a delegada.

Dois casos suspeitos no Rio de Janeiro foram identificados pela DRCI e fazem parte do inquérito. A investigação foi aberta no estado após a mãe de um menino de 12 anos denunciar que o filho foi convidado a participar do jogo pelo Facebook. A delegada comprovou que o jovem não chegou a jogar.Ela investiga agora uma informação que recebeu, e ainda não confirmou, de problemas com uma menina de 12 anos na semana passada. Fernanda Fernandes quer saber se a menina teria agido induzida pelo jogo.

Após aceitar participar pelo Facebook, menor é “orientado” pelo WhatsApp

A delegada disse não ter informações sobre um aplicativo específico do jogo. As pistas levantadas até agora indicam que, após o convite para o “desafio”, os curadores (como se autointitulam os organizadores do esquema) passam as tarefas diariamente para as vítimas por meio das próprias redes sociais. “Se a pessoa aceita participar do jogo, sai do Facebook e vai para o WhatsApp. Durante essa conversa, o menor deve passar todos os dados que identifiquem e que o localizem, assim como dos familiares”.

No Facebook, há diversas comunidades sobre o ‘Baleia Azul’. Nelas, perfis com fotos de criança pedem orientações para participar. “Oi, como posso jogar?”, questionou um menino. Uma internauta alertou: “Se entrar no jogo, não pode mais sair”.

Em escolas e grupos de mães no Rio, o assunto já preocupa. “Estou horrorizada e conversei muito com minha filha. Fiz ela ler (a reportagem do DIA) e expliquei. Meu Deus, o que estão fazendo com nossas crianças? Só muita conversa e acompanhar de perto o que fazem na internet”, disse Anie Kesseli, mãe de uma menina de 11 anos.

Pais devem aumentar diálogo e vigilância

Para o psiquiatra Jorge Jaber, da Associação Brasileira de Psiquiatria, os pais devem estabelecer diálogo aberto para entender o que se passa na vida do filho. “É importante que não tenham atitude persecutória. O jovem tende a rejeitar tom de briga”.

Mãe de uma menina de 10 anos, Kátia Monique de Oliveira, 37 anos, disse que já orientou a filha, que já compartilha informações do risco do jogo com colegas. “Estou com muito medo. Já ouvi falar de outros jogos perigosos para jovens”, disse.

Se há mudança comportamental, a recomendação é procurar um profissional de saúde. “Proibir o acesso às redes é muito difícil. Por isso, os pais precisam ficar atentos aos conteúdos que os filhos acessam”, recomenda a psicóloga Ana Café.

O Facebook diz que proíbe o cadastro de menores de 13 anos e, se os perfis forem denunciados, podem ser removidos. Desde junho, a rede social disponibiliza ferramenta que incentiva amigos a relatar publicações de caráter depressivo. O autor recebe notificação com orientações para procurar ajuda.

Quatro suicídios relacionados ao Baleia Azul são investigados no Brasil, em Mato Grosso, Goiás, Paraíba e Minas Gerais. Na Rússia, mais de 100 casos foram relatados desde 2015. A orientação da delegada aos pais é procurar a DRCI sem denunciar o perfil suspeito ao Facebook, para evitar que a página seja excluída, o que dificulta o rastreio da polícia. (Com informações O Dia).

OS 50 DESAFIOS DO JOGO BALEIA AZUL
Um dos desafios é desenhar uma baleia no próprio corpo usando objeto cortante (Foto: Reprodução)
Um dos desafios é desenhar uma baleia no próprio corpo usando objeto cortante (Foto: Reprodução)

Conforme já orientamos anteriormente neste artigo, os pais devem tomar o máximo de cuidado com o que seus filhos acessam na internet. Se perceber mensagens subliminares estranhas na linha do tempo das redes sociais de seus familiares e amigos, fique alerta. Por isso, é importante conhecer os 50 desafios do jogo Baleia Azul. Confira abaixo.

50 desafios do jogo Baleia Azul

1. Com uma navalha, escreva a sigla “F57” na palma da mão e em seguida enviar uma foto para o curador.

2. Assista filmes de terror e psicodélicos às 4:20 da manhã, mas não pode ser qualquer filme, o curador indicará, lembrando que ele fará perguntas sobre as cenas, pois ele quer saber se você realmente assistiu.

3. Corte seu braço com uma lâmina, “3 cortes grandes” mas é preciso ser sobre as veias e o corte não precisa ser muito profundo, envie a foto para o curador, e seguirá para o próximo nível.

4. Desenhe uma baleia azul e enviar a foto para o curador.

5. Se você está pronto para se tornar uma baleia escreva “SIM” em sua perna. Se não, corte-se muitas vezes “Castigue-se”.

6. Tarefa em código.

7. Escreva “F40” em sua mão, envie uma foto ao curador.

8. Em sua rede social, escreva “#i_am_whale” no seu status do VKontakte (Rede Social Russa) ou no Facebook. O texto significa “Eu sou uma Baleia”.

9. Ele te dará uma missão baseada no seu maior medo, ele quer fazer você superar esse medo.

10. Acorde as 4:20 da manhã e suba em um telhado, quanto mais alto melhor.

11. Desenhe uma foto de uma baleia azul na mão com uma navalha e enviar a foto para o curador.

12. Assista filmes de terror e psicodélicos, todas as tardes.

13. Ouça as músicas que os “curadores” te enviarem.

14. Corte seu lábio.

15. Fure sua mão com uma agulha muitas vezes.

16. Faça algo doloroso, “machuque-se”, fique doente.

17. Procure o telhado mais alto, e fique na borda por algum tempo.

18. Suba em uma ponte e sente-se na borda por algum tempo.

19. Suba em um guindaste ou pelo menos tente.

20. No próximo passo o curador irá verificar se você é de confiança.

21. Encontre outra baleia azul, “outro participante”, o curador te indicará.

22. Pendure-se novamente em um telhado alto, e apoie-se na borda com as pernas penduradas.

23. Outra tarefa em código.

24. Tarefa secreta.

25. Reunião com uma baleia azul que o curador indicará.

26. O curador indicará a data da sua morte, e você aceitará.

27. Acorde as 4:20 e vá a uma estrada de ferro.

28. Não fale com ninguém o dia todo.

29. Fazer um voto de que você é realmente uma Baleia Azul.

30-49. Todos os dias, você deve acordar às 4:20 da manhã, assistir a vídeos de terror, ouvir música que “eles” lhe enviam, fazer 1 corte em seu corpo por dia, falar “com uma baleia”. Durante o intervalo dos desafios entre 30 e 49.

50. Tire sua própria vida.

Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *