Prefeitura vai organizar a Praça Luiz Batista para ambulantes utilizarem o local de maneira adequada e segura

Secretário Cliverson e o coordenador Monte Rebouças reunidos com os ambulantes (Foto: Jailton Rodrigues)

Preocupada com o bem-estar dos ambulantes que comercializam os mais diversos produtos (de alimentação a equipamentos de diversão e lazer) no entorno da Praça Luiz Batista da Costa e os próprios frequentadores do local, a prefeita Iraneide Rebouças (PSD) determinou que fosse realizada uma reunião entre representantes do governo e os pequenos comerciantes para discutir a questão.

O encontro aconteceu nesta sexta-feira, 12, conduzido pelo secretário municipal de Serviços Públicos, Urbanismo e Obras, Cliverson Ferreira, e o coordenador do órgão, Monte Rebouças. Na oportunidade, foi discutida a utilização da praça como ponto comercial.

Apesar do grande número de pessoas que comercializam na praça de maneira permanente ao esporádica, apenas cinco ambulantes participaram da reunião que foi esclarecedora e agradou ambas as partes.

O secretário Cliverson Ferreira disse aos ambulantes que o corte da energia na praça foi uma medida de precaução, pois foram detectadas muitas ligações clandestinas, “gambiarras”, onde estavam usando até fio de telefone.

“A Prefeita Iraneide Rebouças preocupada com a segurança dos que comercializam no local e mesmo aqueles que frequentam a praça, decidiu deslocar os ambulantes da praça para o espaço em frente ao Centro de Saúde José Nogueira de Melo, onde também ficará o parquinho que funcionava em cima da praça”, explicou o secretário.

A medida visa deixar a praça livre para o lazer das famílias, já que o espaço estava muito congestionado.

A prefeitura vai refazer as instalações elétricas na praça e colocar novas tomadas. Os próprios comerciantes vão fiscalizar o local, para que não sejam feitos mais “gatos” ou ligações clandestinas usando material inadequado como fio de telefone, além de deixar a fiação exposta.

O objetivo da reunião foi anunciar a organização da praça para que os comerciantes utilizem o espaço adequadamente, faturando seu dinheiro num ambiente seguro e sem colocar em risco a vida das pessoas. “Tudo voltará a funcionar dentro da legalidade e com segurança, o que é bom para todos”, concluiu Cliverson.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *