“O Sal da Terra”: conteúdo do periódico do Centro Areia-branquense será transformado em livro

Alcindo de Souza e Paulinho Gomes entrevistados por Rogério Edmundo (centro)

O rico acervo cultural deixado pelo saudoso periódico “O Sal da Terra”, será transformado em livro. A boa notícia foi dada por Alcindo de Souza e Paulo Gomes Filho, dois dos seus fundadores e condutores do informativo do Centro Areia-branquense, em Natal, ao longo da sua existência.

O advento da emancipação política de Areia Branca, no último final de semana, trouxe à salinésia os ilustres filhos ausentes (mas nem tanto, pois volta e meia estão aqui na terrinha) que moram na capital há bastante tempo.

No domingo, 22, Alcindo e Paulo Gomes, ou “Paulinho”, como é mais conhecido, estiveram na Rádio Costa Branca (FM 104,3) onde foram recebidos pelo jornalista/radialista Luciano Oliveira, que os levou para conhecer o estúdio da emissora, onde o advogado Rogério Edmundo de Souza apresentava o seu programa dominical “Nova Era“.

No momento da visita, Rogério falava justamente sobre a emancipação política do município e narrava fatos relacionados ao cotidiano da cidade.

Alcindo de Souza trouxe a boa notícia sobre o livro com o conteúdo do jornal

A presença de Alcindo e Paulinho levou Rogério a mudar o roteiro do programa. Não podia deixar escapar a oportunidade de  uma entrevista exclusiva com os visitantes ilustres, que possuem muita bagagem quando o assunto é cultura, especialmente tendo a terrinha como foco.

E foi nessa entrevista casual, porém providencial, que Alcindo e Paulinho tornaram público o projeto voltado para o resgate do rico material que ilustrou as páginas do jornal “O Sal da Terra”, uma publicação trimestral do Centro Areia-branquense, em Natal, que circulou entre a década de 90 e os anos 2000.

Paulinho Gomes achou interessante a ideia de reativar o Centro Areia-branquense

O jornal era uma publicação simples, sem recursos tecnológicos, mas de conteúdo extraordinário. Suas oito páginas eram recheadas com editorias, artigos, entrevistas, registros históricos e fatos marcantes de Areia Branca e da sua gente.

Tudo isso, imortalizado nas páginas do eterno “O Sal da Terra”, será transformado em livro.

NOTA DO EDITOR

Capa do jornal “O Sal da Terra” edição de 2000, com registro da diretoria eleita

O encontro com Alcindo de Souza e Paulinho Gomes propiciou uma breve viagem pelo túnel do tempo. Revirando meus arquivos encontrei algumas edições do periódico “O Sal da Terra”. E uma chamou a atenção por trazer na capa uma foto histórica seguida da manchete “Centro Areia-branquense renasce elegendo hoje a 1ª diretoria do ano 2000”.

E na foto de João Maria, estão os membros da diretoria eleita em 24 de outubro de 1999: Justiniano Neto (saudade), Alcindo de Souza e Paulinho Gomes. Compondo a mesa: Dr. Edivan Martins e Deífilo Gurgel (saudade).

A edição é a de nº 10, de 16 de janeiro de 2000. E o editorial de capa é referente ao renascimento do Centro Areia-branquense. Aliás, sobre o Centro, quando da visita a Areia Branca no fim de semana, Alcindo e Paulinho foram incentivados a reativar o Centro Areia-branquense, que chegou a funcionar como um quartel-general da colônia areia-branquense que reside na capital.

Recomeçar, é preciso. De novo.

Fotos: Luciano Oliveira 

Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *