Filha acusa João de Deus de assédio sexual e pede indenização milionária

João de Deus e a filha Dalva Teixeira (Foto: Reprodução)

Depois de dezenas de mulheres denunciarem João de Deus por assédio sexual, agora é a vez de Dalva Teixeira, filha do médium, revelar que foi estuprada pelo próprio pai. Por motivo de segurança, ela está escondida e é representada pelo advogado Marcos Bocchini num processo movido neste ano, que corre sob sigilo em Goiás.

Segundo fontes da revista Marie Claire, Dalva foi estuprada pelo pai quando ainda era menor de idade e hoje pede uma indenização de R$ 50 milhões numa ação judicial de reparação por danos morais sofridos em razão de estupro continuado.

Sabrina Bittencourt, ativista social pelos direitos humanos e Doutora Honoris Causa por seu trabalho humanitário pela Universidad del Centro (Ucem), no México, é quem está em contato com a filha do líder espiritual. Segundo ela, Dalva está protegida e vive escondida. Autorizada pelo advogado a falar em nome de Dalva em entrevista exclusiva à Marie Claire, Sabrina diz que os filhos de Dalva entraram com um processo contra o próprio avô em 2017 para tentar atenuar o sofrimento da mãe, mas foram coagidos – na mesma época – a gravar um vídeo desmentindo a acusação de abuso.

“Ela sofreu danos emocionais sérios. Os filhos querem tirar a mãe disso”, diz Sabrina. “A Dalva só pode falar em audiência e foi coagida a fazer um vídeo em 2017, que foi divulgado agora como se ela o tivesse feito hoje. Como se fosse um vídeo deste ano. Dalva foi internada contra sua própria vontade e ficou sedada por muito tempo. A equipe do João foi até a clínica e a obrigou a gravar este vídeo. Se ela não fizesse isso, os filhos dela seriam mortos. Por conta disso, por medo, ela não seguiu com o processo. Ela conseguiu sair da internação e hoje tem sido ameaçada de morte pelos capangas do João de Deus”, explica Sabrina.

A ativista está articulando a proteção de Dalva e do advogado de defesa juntamente a organismos de direitos humanos internacionais. Foi Sabrina quem ajudou a denunciar os casos de abuso sexual cometido pelo líder religioso Sri Prem Baba, divulgados em 30 de agosto pela revista Época, e tem focado seus esforços nas investigações das denúncias contra João de Deus. Morando fora do Brasil, a goiana Sabrina conta que tem fugido, de país em país, por medo de represálias.

“Fui ameaçada de morte e me mudo de casa a cada dez dias”, afirma a ativista. “Estou em um autoexílio há muito tempo por causa dessas causas. Não tenho interesse específico de destruir o João de Deus, até porque ele está se destruindo sozinho. Quero apenas abrir os olhos para esses fatos que estão acontecendo pelo mundo. O feminismo não pode ser seletivo. Essas mulheres precisam ter voz”, acredita ela.

Sabrina já produziu um vídeo intitulado #OprahWeNeedYou (em português, “Oprah, precisamos de você”) para chamar a atenção da apresentadora norte-americana, uma das admiradoras de João, a engrossar o coro das mulheres que ainda precisam denunciar o acusado. Oprah, inclusive, foi com sua equipe a Abadiânia, sede do santuário de João de Deus no interior de Goiás, para produzir uma reportagem sobre o líder religioso para seu programa de televisão – o vídeo atualmente está indisponível no canal da apresentadora.

“Isso tem de interessar ao poder público internacional. As vítimas estrangeiras dele têm de procurar as embaixadas brasileiras para fazer a denúncia formal”, diz Sabrina. “Diplomaticamente, o Brasil vai ter de dar uma resposta a isso. Recebi relatos de pessoas o denunciando por garimpos ilegais e por colocar muitas pessoas como laranjas nestes lugares e em suas fazendas. Todo esse material e essas testemunhas estão sendo encaminhados para as autoridades brasileiras investigares”, esclarece Sabrina, sobre denúncias feitas anteriormente a João de Deus, que já foi acusado por suposto assédio sexual em 2010, e absolvido por falta de provas, de acordo com a revista Época, o religioso já foi acusado também de atentado ao pudor, contrabando de minério e assassinato. Em nenhum dos casos foi julgado culpado.

A Marie Claire procurou o advogado Alberto Toron, que representa João de Deus no processo, mas não recebeu retorno até a publicação deste texto.

Quem é o médium?

Médium João de Deus (Foto: Ed Alves/CB)

João Teixeira de Faria nasceu em Cachoeira da Fumaça, no interior de Goiás, e ganhou fama internacional com seu dom sobrenatural, a mediunidade, tornando-se conhecido como João de Deus. Na Casa Dom Inácio de Loyola, fundada pelo guia em 1976 em Abadiânia, a 120 km de Brasília, ele atende milhares de pessoas anualmente, que o procuram em busca de curas espirituais e para problemas físicos.

Entre as celebridades que já passaram pela propriedade do médium estão Xuxa, Marcos Mion, Luciana Gimenez, Claudia Raia, Naomi Campbell e Fábio Assunção, além do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que fez visitas ao médium em 2015 por conta de um câncer na laringe, hoje sob controle. Dilma Rousseff também visitou a casa espiritual depois de ser diagnosticada com um câncer no sistema linfático em 2008.

Em 2012, Oprah Winfrey diz que “sentiu algo muito forte, muito além do que esperava” em visita a João de Deus quando gravou um quadro para seu programa Super Soul Sunday.

Hoje, aos 76 anos, João é casado e tem nove filhos. Sua mulher, Ana Keyla Teixeira Lourenço, de 36, é mãe da mais nova de seus filhos, uma menina de 3 anos. (Com informações Revista Marie Claire).

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *