Dr. Bernardo diz que Governo iniciou repasses para retomar cirurgias em Mossoró

Dr. Bernardo defende pleitos na área da saúde (Foto: João Gilberto/ALRN)

O deputado estadual Dr. Bernardo Amorim (Avante) se pronunciou na sessão desta quinta-feira, 14, sobre a suspensão de cirurgias eletivas na rede pública de Mossoró, por causa dos atrasos nos repasses por parte do Governo do Estado, desde março do ano passado. Segundo o parlamentar, estão na fila para cirurgias, principalmente pacientes de Ortopedia e Traumatologia.

“Quero aqui enaltecer o espírito público da governadora Fátima Bezerra (PT) que, com menos de um mês de gestão, reuniu os prefeitos de Natal Álvaro Dias (MDB), e de Mossoró, Rosalba Ciarlini (PP), seus principais adversários, mostrando que a campanha passou”, disse Dr. Bernardo, ressaltando que até o momento a governadora já repassou R$ 900 mil referentes à parcela de março de 2018. O deputado aproveitou para reclamar que hoje faltam profissionais e instituições interessados em atender pela tabela SUS.

Segundo Dr. Bernardo, em contato com o secretário estadual de Saúde, Cipriano Maia, ele foi informado que o Governo já repassou mais R$ 1,8 milhão, referente aos meses de janeiro e fevereiro deste ano, e uma reunião que aconteceria nesta quinta-feira, com mediação do Ministério Público, iria discutir a criação de um calendário de repasses, e a solução definitiva para o problema das cirurgias eletivas em Mossoró.

O deputado Dr. Bernardo ressaltou também a crise na clínica de hemodiálise de Pau dos Ferros, que desde novembro do ano passado não recebe repasses do Governo do Estado, e que seus dirigentes anunciaram que a partir de segunda-feira, 18, não atenderão mais os pacientes de todo o Alto Oeste. Mas, tranquilizou a população da região, depois de ter conversado com o secretário Cipriano Maia, que garantiu uma solução para o problema.

Em aparte, a deputada Isolda Dantas (PT) lembrou que o atraso de cirurgias eletivas ortopédicas está deixando muitos pacientes com deficiência. E rebateu a informação sobre a falta de interessados em atender pelo SUS, afirmando que o Conselho Municipal de Saúde de Mossoró, só agora, começou o processo de credenciamento do Hospital São Luís, que tem 20 leitos de UTI e 90 de enfermarias, desocupados porque não estão credenciados. “Só agora o Conselho autorizou o hospital a fazer parceria com o SUS. O Governo tem uma dívida de 4 anos com o município de Mossoró”, concluiu Isolda.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *